Sustentabilidade

Você já ouviu falar em Bioeconomia?

Também chamada de economia ecológica, bioeconomia é definina como uma economia sustentável que reúne todos os setores econômicos que utilizam recursos biológicos

O termo Bioeconomia surgiu há cerca de 50 anos quando o economista romeno Nicholas Georgescu-Roegen criou um paralelo entre o conceito de entropia (que faz parte das leis da termodinâmica) e o processo de produção de bens. Segundo ele, basicamente, a energia precisa ser incluída nas análises de processos econômicos pois a energia total do universo é constante mas a entropia total aumenta continuamente, ou seja, cada vez mais produzimos e utilizamos energias que em algum momento se tornam indisponíveis e inutilizáveis.

Diante disso é possível comparar a teoria de Nicholas com o que vivemos hoje: a maior parte da energia utilizada mundialmente provém de fontes não-renováveis, ou seja, que poderão se esgotar um dia. Mas é importante saber que a bioeconomia engloba muitas outras frentes de modo que ela surge da necessidade de se mudar o processo de produção de bens a fim de que exista não só energia mas também alimento, saúde e água potável para as gerações futuras e que, consequentemente, elas tenham uma melhor qualidade de vida.

A bioeconomia está relacioanda, portanto, à adoção de soluções eficazes e coerentes capazes de enfrentar e resolver problemas socioambientais e que são fundamentais para o alcance do desenvolvimento sustentável como as mudanças climáticas, substituição de energias derivadas de combustíveis fósseis, crise econômica, saúde, pobreza extrema, desiguldade social, entre outros. Levando em conta esses tópicos é notável como a Bioeconomia está alinhada aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da ONU sendo que está relacionada diretamente a 10 dos 17 ODS:

A Bioeconomia abrange diversos setores da economia e, além dos tradicionais como a agricultura, pecuária e pesca, contempla também setores como a biotecnologia que é a principal responsável por pesquisa e desenvolvimento que possibilitam a criação de produtos altamente sustentáveis como bioinseticidas e biopesticidas, biopolímeros, medicamentos, cosméticos e outros bioprodutos que vêm ganhando força no mercado e que são muito importantes para o desenvolvimento sustentável como os biocombustíveis, já consolidados no setor da bioenergia.

No Brasil, a ABBI (Associação Brasileira de Bioinovação) é uma das associações que tem o objetivo de fomentar e desenvolver iniciativas de inovação com foco no setor da bioeconomia. A ABBI faz isso propondo aos seus membros formas de acelerar o crescimento da bioeconomia por meio de conexões, eventos e conteúdos. Para saber mais sobre a ABBI e seus membros clique aqui.

 

Bom, parece que o futuro será realmente “bio”, não é mesmo? Contra pra gente aqui nos comentários se você já conhecia o termo bioeconomia e se tem alguma dúvida!

 

 

Tags:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *