29-07-2016

Vantagens e benefícios do etanol

 
Para os químicos, o composto C2H6O é conhecido como álcool etílico, para os leigos, simplesmente álcool. Ele pode ser usado na composição de bebidas alcoólicas amplamente consumidas, como é o caso da cerveja, do vinho e da cachaça. Mas, também está nos perfumes, materiais de limpeza, tintas e solventes comercializados.  Quando utilizado como combustível, o termo "etanol" aparece estampado nas bombas dos postos de gasolina. Esse é nome dito oficial, de acordo com as regras de nomenclatura da IUPAC (International Union of Pure and Applied Chemistry).
 
Motores de explosão também o utilizam como combustível para movimentarem os carros, caminhões e ônibus. Proveniente da cana-de-açúcar, milho, sorgo, beterraba, trigo e cevada, por exemplo; a origem vegetal do etanol faz como que ele se destaque como fonte de energia alternativa e renovável a ser utilizado como combustível daqueles veículos, uma vez que, estando no rol dos biocombustíveis, juntamente com o biodiesel e o biogás, o etanol emite uma quantidade significativamente menor de gases poluentes, quando comparado aos combustíveis fósseis. Há dois tipos de etanol no mercado: o etanol hidratado ou comum e o etanol anidro, puro ou absoluto. A diferença entre ambos reside na quantidade de água que há em cada um. Ao passo que o hidratado contém 95% de etanol e o restante de água, o anidro possui possui uma quantidade bastante reduzida de água.
 
No Brasil, a maior matéria-prima do etanol é a cana-de-açúcar, de fato. A cana chega às usinas para ser devidamente lavada, picada e moída. No processo industrial de moagem, 70% da cana se transforma em  um caldo do qual se extrai o etanol. O restante é bagaço e, geralmente, é queimado como fonte de energia para aquela usina, mas o etanol celulósico também pode ser produzido deste bagaço. Depois de clarificado, o caldo é submetido à fermentação, em que se libera o vinho fermentado que, por sua vez, só possui 10% de álcool em meio à água. Posteriormente destilado, o vinho fermentado se transforma em álcool hidratado para ser vendido nos postos de gasolina. As principais vantagens do uso do etanol são:
 
1) Reduz os poluentes: Quando comparado à gasolina, o etanol emite menos gases danosos à atmosfera em todo o seu ciclo, comprometendo menos a camada de ozônio e, consequentemente, a progressão do efeito estufa e a elevação da temperatura média do planeta;
 
2) É parte do projeto da sustentabilidade:  Com as fontes de petróleo cada vez mais escassas, em alguns anos; a obtenção da gasolina e do diesel não será mais possível, diferente da origem vegetal do etanol. Pensar o etanol como alternativa, não apenas é um projeto dentro da sustentabilidade, mas também inclui a sua exploração de maneira consciente, de modo que suas fontes naturais não sejam extintas como ocorrerá com as fontes do petróleo;
 
3) O etanol celulósico é fabricado com o bagaço da cana-de-açúcar por meio de reações químicas, mas atualemnte uma das melhores soluções é a utilização das enzimas que promovem a quebra das cadeias dos principais polímeros que formam a estrutura do bagaço: celulose e hemicelulose.
 
4) É fonte de bioeletricidade:  A geração de outras fontes de energia a partir dos mesmos elementos dos quais se origina o etanol é fato. Os substratos da cana-de-açúcar, por exemplo, produzem calor que é convertido em energia térmica, mecânica ou elétrica, à qual denominamos bioeletricidade;
 
5) Funciona na prática: Os carros que optam pelo etanol são mais resistentes à octanagem, ou seja, a capacidade do motor de se autodetonar com aquele combustível. Além disso, o etanol ocasiona maior potência e desempenho do motor;
 
6) Está incluindo no potencial brasileiro de cultivos agrícolas: A viabilidade dessa produção reside na quantidade de terras cultiváveis que podem ser bem aproveitadas para esse fim, a economia nacional agradece!
 
Diante do exposto, o etanol coloca-se como uma alternativa já consagrada aos combustíveis fósseis, além de ajudar a criar arranjos produtivos sustentáveis, que geram empregos e diminuem as agressões ao meio ambiente.

Quer fazer um comentário?