25-05-2017

O agronegócio e a sustentabilidade

Um estudo publicado recentemente pela Novozymes, traz uma importante análise sobre a produtividade e a sustentabilidade

             A atenção do mundo está voltada para a ampliação do potencial produtivo da agricultura. Crescimento populacional, as mudanças climáticas e a necessidade de aumentar a produção, principalmente, de alimentos e biocombustíveis provocam esse setor para o uso de novas tecnologias.

Dados da Confederação da Agricultura e Pecuária no Brasil (CNA) estimam que o agronegócio tenha um crescimento de 2% em 2017, alavancado, principalmente, pelo setor sucroenergético, impulsionado pelo aumento de preços do açúcar e do etanol. Em 2016, os produtos do agronegócio garantiram um saldo comercial significativo para o país, chegando 72,5 bilhões de dólares. Segundo o Relatório PIBAgro-Brasil, publicado pela Universidade de São Paulo (USP) em parceria com a CNA, divulgado em dezembro de 2016, o setor agrícola impulsionou o PIB – Produto Interno Bruto do Brasil no ano passado, apresentando crescimento de 0,18% no mês, com alta de 5,77% no ano.

O cultivo da cana-de-açúcar, por exemplo, apresentou aumento de 4,35% além do esperado para a produção. Com relação ao milho, por exemplo, o cenário foi completamente distinto. Aumento de preços, redução de 21,43% da quantidade produzida, redução da exportação e aumento de importação marcaram o ano. Mesmo assim, a atividade industrial de base agrícola acumulou resultado positivo em 2016.

Agora, o setor precisa buscar novas formas de melhorar a eficiência agrícola, uma das alternativas são as soluções biológicas, também conhecidas como biossoluções. Um estudo publicado recentemente pela Novozymes, traz uma importante análise sobre a produtividade e a sustentabilidade, tendo em conta também a geração de alimentos, energia, criação de animais e a diminuição da emissão de gases do efeito estufa.

O estudo discorre sobre como é possível gerar mais valor na cadeia da agricultura usando a Biotecnologia. Para a análise, foram feitos levantamentos sobre a atual produtividade de um hectare utilizado para a criação de frangos nos Estados Unidos. A produção de milho, atual, rende 153 bu/ca (bushel por acreou 9,6 Ton/ha (Toneladas por hectare) de milho que podem alimentar 900 frangos. Eles mostram como a Biotecnologia pode ajudar os produtores a rentabilizar ainda mais o negócio, com uma produção mais sustentável e aproveitando melhor a terra para a geração de novos produtos.

A utilização de microrganismos no plantio contribui para melhorar a produção, por exemplo, do milho. É possível produzir muito mais com a mesma quantidade de terra. Com o apoio das biossoluções, o rendimento, demonstrado no estudo, sobe para 156 bu/ca ou 9,8 Ton/ha, contra as 153 ou 9,6 colhidas no manejo tradicional.

Quer fazer um comentário?