20-07-2017

IPCC projeta um aquecimento global variando entre 2º C a 5,8º C em um futuro próximo

Organização das Nações Unidas (ONU) destaca que 63% dos serviços ambientais oferecidos pelos ecossistemas estão seriamente afetados

            Estudos do IPCC – Painel Intergovernamental sobre Mudança Climática, órgão criado pela Organização das Nações Unidas – ONU, projetam a possibilidade de um aquecimento global variando entre 2º C a 5,8º C em um futuro próximo. Mudar essa realidade é papel e dever de todos.

Grande parte da vida na Terra está ameaçada, na medida em que constatamos a forma acelerada de destruição e degradação dos ecossistemas, devido ao agravamento do aquecimento global, que é o principal responsável pelas mudanças do clima. Segundo estudos científicos divulgados pela Organização das Nações Unidas (ONU), 63% dos serviços ambientais oferecidos pelos ecossistemas estão seriamente afetados, os recursos naturais “consumidos” pela população global superam em 30% a capacidade de oferta e regeneração espontânea da natureza.

Pesquisas realizadas em 2009 pela Universidade de East Anglia (Inglaterra), a partir de novos dados sobre as emissões mundiais de CO2  (dióxido de carbono, principal gás causador do efeito estufa), indicam que o planeta está a caminho de esquentar 6ºC neste século se não houver um esforço concentrado para diminuir a queima de combustíveis fósseis. Essa possibilidade é vista como a mais pessimista, considerada o pior cenário pelos especialistas.

Cada cidadão pode fazer sua parte para mudar esse cenário. Ao abastecer seu carro, escolhendo o etanol como combustível por exemplo, você pode ajudar a reduzir a emissão dos gases poluentes e minimizar seus danos ao meio ambiente.

O etanol tem como matéria-prima fontes renováveis, como cana-de-açúcar, milho, trigo, batata e mandioca. No caso da cana-de-açúcar, por exemplo, durante o crescimento da planta, o processo de fotossíntese ajuda a absorver o gás carbônico (CO2) equivalente ao que será gerado durante o ciclo de produção do etanol. Isso quer dizer que, ao substituir os combustíveis fósseis pelo etanol, é possível diminuir significativamente a emissão de CO2.

O uso do etanol gera inúmeras vantagens, uma delas, é a emissão de até 25% menos agentes poluentes do que a gasolina, por ser uma alternativa limpa e renovável, ao contrário da gasolina, que é derivada do petróleo, um recurso mineral mais poluente que é finito, portanto, um dia pode se esgotar. O etanol já tem sido misturado à gasolina para ajudar o país na redução de emissão de gases poluentes. Em 2016, essa taxa era de 26%, ou seja, 26% de cada litro de gasolina é, na verdade, etanol. Desde março deste ano, passou a valer também a Lei 13.263/2016, que autoriza o aumento dos percentuais de adição obrigatória, em volume, de biodiesel ao óleo diesel vendido ao consumidor final, nos postos de combustível. Hoje, a quantidade de etanol adicionada à gasolina é de 27%.

Biotecnologias a favor da biodiversidade

Graças à Biotecnologia é possível desenvolver soluções sustentáveis para fabricação de produtos alimentícios, têxteis, limpeza, além de tratamento da água com o uso de enzimas e, assim, auxiliar na preservação da biodiversidade. As enzimas são catalizadoras naturais em reações químicas, e podem ser aplicadas na produção de biocombustíveis, garantindo ainda mais economia para o planeta. Na América Latina, a Novozymes é referência no segmento, realizando seus trabalhos com base na sustentabilidade e menor impacto negativo ambiental. Conheça mais conteúdos sobre Biologia e Biotecnologia aqui no Bioblog

Quer fazer um comentário?