10-07-2017

Gosta de vinho? As enzimas deixam eles ainda melhores

Uma nova enzima, descoberta por pesquisadores norte-americanos, é a responsável pelo intenso sabor dos vinhos envelhecidos

            Todo ano uma boa notícia sobre o vinho é divulgada para a nossa alegria. Uma taça por dia melhora o nosso sistema circulatório, graças ao resveratrol, que também é um importante aliado da saúde do nosso coração, ajudando, inclusive, a combater o colesterol*. Uma outra notícia detalhou um estudo publicado por Philippe Jeandet e Roger Bessis da Universidade da Borgonha (França), que destaca que uma enzima presente no vinho tinto pode ajudar a retardar o envelhecimento.

As enzimas, que são catalisadores biológicos, são grandes aliadas da enologia. No universo do vinho elas atuam já durante a produção dos vinhedos, participando do processo de crescimento e reprodutor das plantas, segundo artigo publicado pela revista Adega. De acordo com a publicação, uma das mais importantes do segmento no Brasil, a sacarase, ou invertase, é uma das principais enzimas do processo produtivo. Ela degrada a molécula de sacarose, transformando-a em glicose e frutose que são fundamentais para a fermentação da uva.

A partir daí, no processo industrial de fabricação do vinho, as pectinases, hemicelulases, glucanases e glicosidades são amplamente utilizadas para auxiliar na produção do precioso líquido que chegará aos centros comerciais.

As enzimas ajudam a obter um líquido mais intenso e brilhante, ressaltando o sabor dos taninos, contribuindo para uma degustação de um líquido mais macio, com aromas mais limpos e claros.

E todo dia mais descobertas surgem no mundo das enzimas e no universo do vinho. Uma recente descoberta, publicada pela revista New Phytologist, destaca que os cientistas de Sonoma, na Califórnia (EUA), identificaram que uma enzima, por enquanto chamada de CYP76F14, que vem de uma família de enzimas chamadas citocromoP450, é a responsável pelos aromas dos vinhos envelhecidos. Segundo eles, ela atua quebrando o monoterpenol linalol em um composto diferente, o carboxylinalool, responsável pelo aroma complexo que só os vinhos envelhecidos têm.

*Segundo o artigo da Revista Brasileira de Obesidade, Nutrição e Emagrecimento, disponível no link: http://www.rbone.com.br/index.php/rbone/article/download/38/36

Biotecnologias a favor da biodiversidade

Graças à Biotecnologia é possível desenvolver soluções sustentáveis para fabricação de produtos alimentí-cios, têxteis, limpeza, além de tratamento da água com o uso de enzimas e, assim, auxiliar na preservação da biodiversidade. As enzimas são catalizadoras naturais em reações químicas, e podem ser aplicadas na produ-ção de biocombustíveis, garantindo ainda mais economia para o planeta. Na América Latina, a Novozymes é referência no segmento, realizando seus trabalhos com base na sustentabilidade e menor impacto negativo ambiental. Conheça mais conteúdos sobre Biologia e Biotecnologia aqui no Bioblog

2 comments

  1. Gostei da informaçao,gostaria de saber
    Se a enzima esta ligada a rachadura da pele ou e falta de proteina e vitaminas

    Responder
    1. Vera, obrigado pelo contato!
      Vamos pesquisar sobre o assunto e em breve esperamos ter uma matéria para esclarecer o tema.
      um abraço,

      Responder

Quer fazer um comentário?