30-10-2017

Detergentes enzimáticos ajudam a combater as infecções hospitalares

Produto consegue agir em instrumentos e superfícies de difícil acesso para a limpeza comum

 Os processos de desinfecção, esterilização e limpeza de áreas hospitalares, bem como de tecidos e equipamentos, são primordiais para o trabalho no setor de saúde. Com protocolos diferenciados e extremamente exigentes, não é possível fazer uma limpeza profunda e de qualidade somente com água e com detergentes comuns. É preciso contar com produtos que sejam desenvolvidos especificamente para retirar sujidades profundas, que penetram em diversos tipos de superfícies.

Todos esses resíduos são mais facilmente dissolvidos com a ajuda de detergentes enzimáticos que fragmentam esse tipo de matéria orgânica, facilitando a absorção e remoção. Esse é um produto diferente de outros, porque em sua composição encontramos uma combinação de tensoativos, pH e enzimas. O produto não espuma, o seu pH é neutro, fator importante em sua aplicação, não é corrosivo, não irrita e tem a vantagem de ser biodegradável.

O detergente enzimático é um produto desenvolvido para proporcionar um efeito limpador de alta eficácia. Seu uso é voltado para a dissolução de material orgânico, como, por exemplo, resíduos de tecidos corpóreos, muco, pus, sangue, entre tantas outras sujidades que possam aderir ao instrumental usado no ambiente odontológico e hospitalar. Com essa solução exclusiva, os instrumentais são imersos na solução por um menor período e é possível alcançar até os locais mais difíceis desses equipamentos, que não são danificados, pois não há ação corrosiva, como é o caso de artigos usados para cirurgias minimamente invasivas, como tesouras, pinças e outros que têm design tubular, o que podem dificultar a limpeza completa. As enzimas contribuem para aumentar a vida útil dos instrumentais.

Os detergentes enzimáticos são considerados um grande avanço na questão da limpeza de instrumentos e artigos médicos. As matérias-primas que são utilizadas para sua produção não danificam os equipamentos ou os instrumentos em que são usados. Essa preservação do instrumental se deve, e muito, ao pH neutro, por isso, ao utilizar esse tipo de produto é preciso seguir, atentamente, as orientações do fabricante para obter os melhores resultados, como não misturar produtos químicos ao detergente enzimático, para não invalidar a ação das enzimas e usar, após a limpeza, um produto desinfetante.

Com o apoio das enzimas, os detergentes enzimáticos removem, por completo, os resíduos corporais úmidos nas superfícies, ajudando a impedir a formação de biofilme e o acúmulo de camadas de microrganismos.

Quer fazer um comentário?