13-11-2017

COP23 marca um ano da entrada em vigor do Acordo de Paris para o clima

O acordo, adotado por 196 países, pede que as partes combatam as mudanças climáticas limitando a elevação da temperatura global a apenas 2º Celsius.

Um ano depois da entrada em vigor do Acordo de Paris para o clima, a Conferência de Bonn, realizada de 6 a 17 de novembro de 2017, na Alemanha, é uma oportunidade para os países demonstrarem sua ambição para a ação climática e sua determinação em manter suas promessas.

“Enquanto Paris representou um daqueles momentos em que o melhor da humanidade chegou a um acordo tão importante para nosso futuro coletivo, Bonn representa a forma com a qual nos moveremos para frente para cumprir as promessas”, disse a secretária-executiva da UNFCCC, Patricia Espinosa, paralelamente a uma reunião ministerial em Fiji em meados de outubro, de preparação para a Conferência das Partes.

“Estamos ficando sem tempo de mudar as coisas. Para isso, precisamos aumentar significativamente nossos esforços para reduzir as emissões e nossa pegada de carbono”, acrescentou.

O Acordo de Paris para o clima, adotado por 196 países na reunião anual da UNFCCC de dezembro de 2015, na capital francesa, pede que as partes combatam as mudanças climáticas limitando a elevação da temperatura global a apenas 2º Celsius.

Uma semana antes da abertura da Conferência de Bonn, a Organização Meteorológica Mundial (OMM) anunciou que níveis de dióxido de carbono (CO2) elevaram-se a uma velocidade recorde em 2016.

A conferência conta com uma série de encontros e eventos, incluindo um segmento de alto nível em 15 e 16 de novembro, com a participação de chefes de Estado e de governo, ministros e do secretário-geral da ONU António Guterres.

Guterres convidou líderes a analisar seis áreas de alto impacto em uma cúpula especial do clima em 2016. Entre as áreas estão o investimento em tecnologia limpa, consolidação da precificação de carbono, impulso à transição energética, mitigação de risco e construção de resiliência, aumentando a contribuição de atores sub-nacionais e empresariais e mobilizando o financiamento para o clima.

“A crescente ambição é a única forma de manter a elevação da temperatura global abaixo dos 2º Celsius neste século, e o mais perto possível do 1,5º. Ao focar nesses setores, podemos reduzir substancialmente a diferença entre onde estamos e onde deveríamos estar”, disse a vice-secretária-geral da ONU, Amina Mohammed, na reunião pré-COP.

Quer fazer um comentário?