19-07-2017

Como atuam as bactérias digestivas

A vida sedentária, a má alimentação e o estresse estão diminuindo a quantidade de bactérias do bem em nosso organismo.

          O mundo das bactérias é tão fantástico que sempre falamos sobre alguma curiosidade aqui. Hoje, vamos falar sobre as nossas amigas, a bactérias digestivas, conhecidas como Flora Intestinal. Esse grupo de bactérias vive em nosso intestino auxiliando na digestão de alimentos e monitorando o desenvolvimento de micro-organismos que causam doenças. Cada milímetro quadrado de um intestino saudável deve ter cerca de 10 bilhões de micro-organismos  vivendo nele para funcionar corretamente.

Para manter a saúde do nosso corpo em dia é preciso manter a flora intestinal equilibrada, consumindo alimentos probióticos, chamados popularmente de “bactérias do bem”. Eles facilitam a digestão e a absorção de nutrientes, aumentando, assim, o sistema imunológico, ajudando a prevenir doenças como gripes e resfriados, por exemplo.

Um alimento probiótico que temos certeza que você já conhece, são as bebidas com lactobacilos vivos. Elas são do gênero lactobacillus e contam com uma grande vantagem: elas chegam vivas ao intestino, atravessando sem problemas o estômago, um ambiente bastante ácido. Chegando lá, eles se reproduzem rapidamente e ajudam a criar um ambiente favorável para outras bactérias do bem possam viver ali. Além disso, elas produzem um muco que protege as dobraduras intestinais e ajudam a sintetizar partes das vitaminas do complexo B.

A vida sedentária, a má alimentação e o estresse estão diminuindo a quantidade de bactérias do bem em nosso organismo. É o que mostra um estudo da Universidade de Alberta, no Canadá, cujos pesquisadores apresentam um indicativo importante de que os moradores de países com alto nível de industrialização mostram maior desequilíbrio no microbioma digestivo, isso porque ingerem uma quantidade constante de antibióticos e alimentos com muitos conservantes, além da baixa ingestão de fibras. E isso pode estar impactando diretamente no crescimento da obesidade da população.

Outro estudo, agora norte-americano, publicado pela revista especializada Science, faz uma ligação direta entre uma boa flora intestinal e a obesidade. Os pesquisadores retiraram bactérias do aparelho digestivo de pessoas gêmeas com uma característica peculiar: um era gordo e outro era magro. As cobaias que receberam a bactéria do gêmeo obeso ganharam peso e acumularam mais gordura do que aquelas que receberam a bactéria do gêmeo magro. Quando o obeso recebeu um maior grupo de bactérias do bem elas ajudaram no emagrecimento saudável.

E se você anda mal humorado sem motivo algum é bom ficar atento. Uma reportagem publicada pelo New York Times Magazine mostra que existe uma forte conexão entre a mente, o estado de ânimo e a flora intestinal.

 

Biotecnologias a favor da biodiversidade

Graças à Biotecnologia é possível desenvolver soluções sustentáveis para fabricação de produtos alimentícios, têxteis, limpeza, além de tratamento da água com o uso de enzimas e, assim, auxiliar na preservação da biodiversidade. As enzimas são catalizadoras naturais em reações químicas, e podem ser aplicadas na produção de biocombustíveis, garantindo ainda mais economia para o planeta. Na América Latina, a Novozymes é referência no segmento, realizando seus trabalhos com base na sustentabilidade e menor impacto negativo ambiental. Conheça mais conteúdos sobre Biologia e Biotecnologia aqui no Bioblog

Tags:

Quer fazer um comentário?