30-01-2017

Biofertilidade: o plantio de qualidade e a agricultura sustentável

Melhorar a agricultura traz inúmeros benefícios ao meio ambiente, entre eles o aumento da produtividade e alimentos mais nutritivos, reduzindo a quantidade de adubo químico utilizado nas plantas.

A ONU estima que a população mundial alcançará o número de 9 bilhões de pessoas até 2050. Para atender a essa demanda, os agricultores precisarão produzir muito mais alimentos nos próximos 40 anos do que fizeram nos últimos 10 mil anos. A questão é que aproximadamente12% da área terrestre mundial já está sendo utilizada para a produção agrícola, e grande parte restante de terras apropriadas são referentes a áreas urbanas, cobertas por florestas ou protegidas por legalmente por razões ambientais, portanto, o potencial de expansão agrícola sustentável é muito limitado.

Os dados apontam a necessidade de melhorar a agricultura sem esquecer-se da sustentabilidade. Já existem biosoluções que permitem produzir mais sem afetar as necessidades ambientais e, ao mesmo tempo, melhorar a qualidade dos alimentos que estão sendo gerados, deixando-os mais nutritivos, pois os agricultores conseguem reduzir a quantidade de água e terra utilizada do plantio à colheita e melhorar a forma como os fertilizantes, herbicidas e pesticidas são utilizados.

Biofertilidade é uma plataforma de biosolução

O processo de biofertilidade diz respeito ao uso de um grupo de bactérias que tem a capacidade de absorver nutrientes do ambiente e, então, levar as substâncias para as plantas. Com isso, é possível reduzir fortemente a quantidade utilizada de adubo químico, pois a planta retira do ar e do solo os nutrientes que necessita para crescer de forma saudável.

A multinacional dinamarquesa Novozymes, em conjunto com a multinacional agrícola Monsanto, criaram a BioAg Alliance. Entre as soluções desenvolvidas estão as de biofertilidade, compostas por inoculantes muito conhecidos pelos agricultores e utilizados em larga escala em todo o Brasil. A novidade são os inoculantes para tratamento industrial que fornecem 38 dias de pré-tratamento. Essa inovação pode ser misturada aos inseticidas e fungicidas no pré-tratamento industrial de sementes.

As soluções baseadas em micro-organismos da BioAg Alliance são derivadas de bactérias e fungos. Eles têm um potencial significativo para transformar a agricultura moderna e ajudar a atender a crescente demanda global por alimentos. Os resultados obtidos em 2013 mostraram a potencialidade dos micro-organismos, pois apontaram aumento no rendimento da produção de milho e soja. Novos testes foram realizados e esses mostram que a Novozymes e a Monsanto estão no caminho certo para descobrir produtos microbianos transformadores para toda a agricultura. No site Bioblog (www.bioblog.com.br) constam diversas outros temas ligados à biologia e sustentabilidade trabalhados pela Novozymes.

Quer fazer um comentário?