19-09-2016

Benefícios do desenvolvimento sustentável da aquicultura e da pesca

A pesca industrial deve ser realizada de forma a preservar o meio ambiente e retirar dele apenas o necessário a fim de evitar o desequilíbrio da cadeia alimentar marinha.

Peixes, moluscos e crustáceos costumam fazer parte das refeições diárias de milhões de pessoas no mundo. A base para que isso seja possível está na aquicultura e na pesca. Basicamente, a diferença entre cada uma das práticas é que:     

  • A pesca tem como premissa a coleta de recursos pesqueiros presentes no ambiente natural;    
  • A aquicultura fundamenta-se no cultivo de seres aquáticos, entre eles peixes, crustáceos, moluscos, anfíbios e répteis, costumeiramente em um espaço controlado.

Conforme informações da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA), o Brasil possui todos os fatores necessários para exercer a atividade pesqueira e a aquicultura. Afinal, são 8.500 quilômetros de costa marinha e o país detém 12% de toda a água doce presente no planeta. Embora com todos os recursos naturais a favor, o Brasil ainda é importador, mas possui potencial para ser um exportador de pescado e referência aquícola.

Meio ambiente: preocupação indispensável

Mundialmente, 75% das grandes populações de peixes comerciais, localizados principalmente em águas interioranas, são exploradas ou utilizadas em excesso até que os estoques se esgotem. Porém, a pesca industrial precisa acontecer de forma harmônica com o meio ambiente, pois quando ocorre de modo predatório e ilegal, pode gerar o desequilíbrio da cadeia alimentar marinha.

Para que no Brasil todo o crescimento na área da pesca industrial e aquicultura aconteça de forma sustentável, foi criada a Lei nº 11.959, de 29 de junho de 2009, que trata a respeito da Política Nacional de Desenvolvimento Sustentável da Aquicultura e da Pesca e, entre as proibições especificadas constam:

  • A proibição do exercício da pesca em épocas e locais previamente definidos;
  • A proibição de pescar determinadas espécies que precisam ser preservadas;
  • A proibição de pescar sem autorização do órgão competente;
  • A proibição de pescar acima da quantidade definida pelo órgão competente;
  • A proibição de utilizar substâncias tóxicas que possam alterar as condições da água;
  • A proibição de fazer uso de métodos considerados predatórios.

Exemplo de estratégia sustentável

Pensar em pesca e aquicultura sustentável é também refletir em como aproveitar da melhor forma o que for extraído da natureza.Novozymes, líder mundial em soluções biológicas, possui estratégias para o processamento sustentável de peixes, como as enzimas que auxiliam na manipulação da carne para ampliar as possibilidades de produção. Esse processamento visa minimizar o desperdício, pois a industrialização do peixe produz quantidade significativa de resíduos ricos em proteínas e em ácidos graxos, entre eles o Ômega 3 e os cobiçados extratos de proteína de peixe. Saiba mais em http://www.novozymes.com/en/solutions/food-and-beverages/meat-processing.  

Quer fazer um comentário?