18-05-2017

Abastecer com etanol: mitos e verdades

Mais de 90% dos carros produzidos no Brasil já saem das fábricas com motores especialmente adaptados para utilizar esse combustível

           São tantas informações à disposição do consumidor, mas sempre bate aquela dúvida sobre o que é melhor usar para abastecer o carro: gasolina ou etanol? Em tempos em que todos precisamos economizar, é ainda mais interessante conhecer as vantagens para o motor e também para o bolso.

Para o bolso a conta é simples. Basta dividir o valor do etanol pelo da gasolina. Se o resultado for até 0,7 a dica é encher o tanque com o etanol. Mas se não gosta de fazer contas já existe uma calculadora na internet que faz isso por você, no Cálculo Exato. No site da Agência Nacional de Petróleo – ANP você pode conferir o preço do combustível, atualizados e por região, para fazer render ainda mais o seu dinheiro.

No caso do motor, diversos veículos têm melhor rendimento quando usamos etanol. A eficiência energética dos carros é acompanhada pelo Inmetro desde 2005, já na montadora, fazendo a classificação desses veículos que, além de mais econômicos, também emitem menor quantidade de gases no meio ambiente com seus motores preparados para o uso do etanol. No site também é possível conferir os dados de consumo do seu automóvel, com gasolina e etanol, na estrada e na cidade.

O uso do etanol gera ainda outras inúmeras vantagens, uma delas, é a emissão de até 25% menos agentes poluentes do que a gasolina, por ser uma alternativa limpa e renovável, ao contrário da gasolina, que é derivada do petróleo, um recurso mineral mais poluente que é finito, portanto, um dia pode se esgotar. O etanol já tem sido misturado à gasolina para ajudar o país na redução de emissão de gases poluentes. Em 2016, essa taxa era de 26%, ou seja, 26% de cada litro de gasolina é, na verdade, etanol. Desde março deste ano, passa a valer também a Lei 13.263/2016, que autoriza o aumento dos percentuais de adição obrigatória, em volume, de biodiesel ao óleo diesel vendido ao consumidor final, nos postos de combustível. Hoje, a quantidade de etanol adicionada à gasolina é de 27%.

Um dos mitos que circulam entre nós é que o motor do carro fica menos eficiente quando usamos etanol. Não é verdade. Mais de 90% dos carros produzidos no Brasil já saem das fábricas com motores especialmente adaptados para utilizar esse combustível, os chamados flex, que foram criados para usar o etanol. Mas se o veículo é mais antigo e não adaptado para isso, o uso pode ser maior e o desgaste do equipamento irá acontecer mais rápido.

Outro mito é de que o etanol é desvantajoso em relação a gasolina, por seu preço e também para a maior eficiência do motor. O Inmetro, na tabela que já falamos acima, mostra o passo a passo dessa análise para cada tipo e modelo de carro produzido no Brasil. O etanol confere mais potência ao motor, fazendo com que o automóvel ganhe força de arranque e velocidade final, por isso mesmo, diversos carros de corrida já usam esse combustível, como na Fórmula Indy e até mesmo a Ferrari, na Fórmula 1, já usa etanol de 2 geração.

Entre as verdades atribuídas ao etanol, nenhuma é questionável. Ele é uma fonte renovável, reduz o impacto no meio ambiente, produz menos gases nocivos, reduz o aquecimento global, é solúvel em água, reduzindo o impacto ambiental, além de ser um produto agrícola, o que promove a produtividade de diversos setores no Brasil.

A Novozymes, reconhecida mundialmente pela qualidade das suas enzimas industriais, possui soluções biológicas que contribuem para maximizar a produção e redução de insumos durante o processo produtivo das biorrefinarias. Confira aqui no Bioblog.

Quer fazer um comentário?