27-10-2017

Tecnologia e educação: entrelaçadas pelo conhecimento

Em 1988 Isaac Asimov dizia que a internet revolucionaria a educação. Hoje, o que era ficção se tornou realidade

Em 1988 muitos, da geração digital, não haviam nascido, e dez anos antes da criação do Google, por exemplo, um importante pensador e escritor já falava sobre o impacto da internet na vida das pessoas e na educação. Com olhar visionário, Isaac Asimov falou, nesta entrevista para o programa de TV World of Ideas, sobre a importância da internet na educação e no cotidiano.

Um grande visionário que nos faz refletir, até hoje sobre a união da tecnologia, da educação e da sociedade para uma formação humana ainda melhor. Em 1988, enquanto muitos de nós nem sonhávamos com nossos e-mails, smarthphones e tablets, ele já abordava com muita competência a importância da interdisciplinaridade, indo além, falando também da multi e das ações transdisciplinares na educação, que deveria extrapolar o ambiente de sala de aula, ultrapassar as paredes reais que travam o aprendizado e ajudar a abrir as portas de um universo inteiro de conhecimento, com cada aluno podendo ter acesso à sua própria escola, escolhendo seus conteúdos e o que aprender, por meio da internet.

O prenúncio do pensador é uma grande realidade na atualidade. Não vimos o tempo passar, mas nos assustamos com as possibilidades que a tecnologia coloca à nossa frente, à disposição, para um aprendizado contínuo.

Asimov escrevia, então, sobre ficção científica. Aplaudido no cinema e na literatura, ele provou que é possível ultrapassar todos os limites e fazer com o que era ficção se tornasse uma realidade, nos nossos computadores, celulares, TVs e nas salas de aula.

Se em sua época esse era um universo assustador e impalpável, visto apenas no cinema, hoje a união da tecnologia, literatura e internet é uma realidade que está apenas a um toque do nosso indicar nos nossos celulares. Alunos e leitores do país já contam com livros-aplicativos que unem os grandes clássicos da literatura, com tecnologia de ponta, para abordar temas relacionados ao cotidiano de cada um de nós, como sustentabilidade, fome, pobreza, falta de água, preservação do meio ambiente, igualdade de gênero, produtividade consciente, além de outros milhares de temas que podem ser intercalados, em sala de aula – ou fora dela – para despertar a consciência, o interesse pela leitura e pela atuação social.

Um exemplo disso é a Coleção Novozymes Nova Perspectiva, uma iniciativa da empresa Novozymes pensada para auxiliar alunos e professores a trabalharem temas multidisciplinares de uma maneira lúdica, pratica e criativa, como os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), da Organização das Nações Unidas (ONU), com foco nas pessoas, no planeta, na prosperidade, paz e parcerias, com a proposta de contribuir para que a humanidade chegue ao ano de 2030 com desenvolvimento sustentável.

Por meio de três livros-aplicativos, desenvolvidos com ilustrações animadas, efeitos de áudio e um roteiro interativo, os apps ajudam a tornar a leitura de importantes clássicos da literatura, relacionados com aspectos essenciais da Biologia, mais instigante e reflexiva, além de ajudarem a promover uma série de reflexões sobre a sustentabilidade.

Conheça mais sobre este projeto acessando a página: http://www.bioapp-novozymes.com.br/

Quer fazer um comentário?