Alimentos e Bebidas

Startup suíça usa tecnologia para combater desperdício de comida no setor de serviços

Todos os anos, um terço dos alimentos produzidos não chegam nem mesmo às mesas do consumidor.

Todos os anos, um terço de toda a comida produzida no mundo vai parar no lixo sem nem mesmo ser consumida. Para ajudar a combater o desperdício, a suíça Naomi MacKenzie cofundou uma startup que usa a tecnologia para mapear tendências de descarte em restaurantes, bufês e hotéis, conforme informações da ONU Meio Ambiente.

Já a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) estima que, todos os anos, um terço dos alimentos produzidos não chegam nem mesmo às mesas do consumidor. Isso representa um enorme desperdício e ineficácia – questões de destaque no mais recente Resumo de Políticas dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, publicado pela entidade.

Reduzir o desperdício de alimentos está entre as cinco principais preocupações da transição para estilos de vida mais sustentáveis. Mas ter sucesso nessa área exige ações em todos os níveis. Como indivíduos, nós podemos combater o desperdício de alimentos cozinhando menos, compartilhando com os vizinhos, comprando alimentos considerados “feios”, fazendo compostagem e conscientizando as nossas comunidades. No entanto, mudanças sistemáticas nas grandes indústrias também são necessárias para enfrentar o problema global do desperdício de alimentos.

“Indivíduos, assim como fornecedores de alimentos, podem reduzir o desperdício ao planejar quais alimentos são necessários, conceber pratos que usem sobras e gerenciar como armazenar alimentos de forma que o frescor seja maximizado”, aponta Garrette Clark, chefe de programa da ONU Meio Ambiente para Estilos de Vida Sustentáveis.

A especialista afirma ainda que problemas sistemáticos mais amplos podem ser combatidos de diferentes formas: empenhar-se na procura por alimentos produzidos de forma sustentável; falar sobre alimentos saudáveis e sustentáveis com vendedores e produtores; evitar embalagens em excesso; ou começar projetos de hortas urbanas, escolares ou em cozinhas. Ao mesmo tempo, também é preciso apoiar organizações e políticas que promovam sistemas alimentares mais sustentáveis.

Naomi MacKenzie, de 26 anos, cofundou uma organização para responder a esses desafios. Sua startup KITRO, sediada na Suíça, oferece uma solução automatizada para a captura de dados e para combater o desperdício de alimentos na chamada indústria da hospitalidade — que reúne os setores de eventos, gastronomia, turismo e hotelaria.

Tags:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *