13-07-2017

Qual a diferença entre má digestão de lactose, intolerância à lactose e galactosemia?

O aparecimento de sintomas abdominais, como, por exemplo, dor e distensão abdominal, em função da má digestão de lactose, caracterizam a intolerância à lactose.

            No mês de junho, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) publicou um caderno especial com 22 perguntas e respostas sobre a Rotulagem de Lactose, entre elas o material visa esclarecer dúvidas comuns da população, esclarecer mitos e orientar sobre a classificação dos alimentos.

Uma das principais dúvidas abordadas é a diferença entre a má digestão de lactose, a intolerância à lactose e a galactosemia.

Na maioria dos mamíferos, a atividade da enzima lactase diminui após o desmame. Esse é um fenômeno normal, geneticamente programado e irreversível, conhecido como hipolactasia primária ou lactase não persistente. Quando indivíduos com hipolactasia primária ingerem alimentos contendo lactose, uma parte deste açúcar não é digerida e atinge o cólon, sendo degrada em ácido lático, ácido acético, hidrogênio e dióxido de carbono pelas bactérias intestinais. Essa situação é chamada de má digestão de lactose.

O aparecimento de sintomas abdominais, como, por exemplo, dor e distensão abdominal, flatulência, diarreia, náusea, vômitos ou constipação, em função da má digestão de lactose caracteriza a intolerância à lactose.

A galactosemia é um distúrbio metabólico raro e genético que afeta a capacidade de um indivíduo de metabolizar adequadamente a galactose, um dos açúcares que formam a lactose. O consumo de lactose por portadores de galactosemia causa efeitos adversos distintos e mais severos do que aqueles observados em indivíduos com intolerância à lactose. Assim, os portadores de galactosemia necessitam controlar o consumo de produtos contendo lactose e galactose.

É importante esclarecer, também, que a intolerância à lactose não é uma alergia alimentar. Embora confundida com a alergia ao leite, a intolerância é uma reação adversa que não envolve o sistema imunológico e ocorre devido à deficiência da enzima lactase, sendo classificada como uma intolerância alimentar. O diagnóstico correto é essencial, pois pessoas com alergia ao leite podem desenvolver complicações graves, como, por exemplo, choque anafilático, ao consumirem pequenas quantidades de leite, enquanto indivíduos com intolerância suportam quantidades maiores desse alimento.

Confira a integra do material acessando aqui.

 

Biotecnologias a favor da biodiversidade

Graças à Biotecnologia é possível desenvolver soluções sustentáveis para fabricação de produtos alimentícios, têxteis, limpeza, além de tratamento da água com o uso de enzimas e, assim, auxiliar na preservação da biodiversidade. As enzimas são catalizadoras naturais em reações químicas, e podem ser aplicadas na produção de biocombustíveis, garantindo ainda mais economia para o planeta. Na América Latina, a Novozymes é referência no segmento, realizando seus trabalhos com base na sustentabilidade e menor impacto negativo ambiental. Conheça mais conteúdos sobre Biologia e Biotecnologia aqui no Bioblog

Quer fazer um comentário?