07-08-2017

Plataforma do BIOFUTURO garante bioeconomia em expansão

A iniciativa representa um novo esforço coletivo para acelerar o desenvolvimento e a implantação de biocombustíveis avançados, nos setores mais diversos, como alternativas sustentáveis aos combustíveis fósseis.

            Debatida durante o Ethanol Summit deste ano, a Plataforma Biofuturo é uma proposta que visa acelerar o desenvolvimento sustentável de biocombustíveis avançados de baixo carbono na matriz energética global e fomentar o desenvolvimento da bioeconomia. A iniciativa é liderada pelo Brasil e pretende reunir representantes internacionais para promover o diálogo e cooperação.

Lançada em Marrakesh, no Marrocos, em novembro de 2016, durante a 22ª Conferência da ONU sobre Mudanças Climáticas (COP-22), é um instrumento estratégico para o cumprimento das metas estabelecidas pela COP-21.

Entre os objetivos estão o de criar um cenário favorável aos investimentos e estimular a conscientização e o compartilhamento do potencial de combustíveis de baixo carbono e de outros desenvolvimentos avançados em bioeconomia.

Integram também a lista de metas a promoção de estudos, análises, práticas políticas e informações relacionadas à pesquisa e os debates para avaliar, disseminar e promover atitudes sustentáveis para a cadeia produtiva de biomassa.

A Plataforma do Biofuturo tem como países membros além do Brasil, Argentina, Canadá, China, Dinamarca, Egito, Finlândia, França, Índia, Indonésia, Itália, Marrocos, Moçambique, Países Baixos, Paraguai, Filipinas, Suécia, Estados Unidos, Reino Unido e Uruguai, e dá seguimento aos compromissos estabelecidos na Rio+20, nos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) e no Acordo de Paris. A iniciativa representa um novo esforço coletivo para acelerar o desenvolvimento e a implantação de biocombustíveis avançados, nos setores mais diversos, como alternativas sustentáveis aos combustíveis fósseis.

Biosoluções

Novozymes é uma multinacional de referência no segmento de enzimas. Elas otimizam o processo de produção de biocombustíveis e podem reduzir em até 130% as emissões de gases de efeito estufa, o que também diminui a pegada de carbono. Dessa forma, todos os trabalhos da Novozymes são baseados em práticas sustentáveis e com menor impacto ambiental. Conheça também outros conteúdos sobre biologia e meio ambiente no Biobloghttps://www.bioblog.com.br/.

 

Quer fazer um comentário?