Sustentabilidade

Países se unem para eliminar o uso de carvão

O compromisso de abdicar da fonte responsável por 40% da energia mundial, o carvão, que é considerado o principal indutor do aquecimento global, liberando a maioria dos gases de efeito estufa

Uma nova iniciativa ganhou corpo na COP23, com o anúncio da criação do Powering Past Coal Alliance, reunindo 25 países, estados e regiões para acelerar a rápida eliminação do carvão e apoiar trabalhadores e comunidades afetados por essa transição. Durante o encontro, na Alemanha, Reino Unido e Canadá, à frente da iniciativa, alertaram que se as nações que assinaram o Acordo de Paris pretendem cumprir as metas estabelecidas, precisam ajudar para que a queima de carvão seja eliminada nos países membros da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) até, no máximo, 2030, e no mundo até 2050. Mais de 20 países assinaram a proposta, com exceção dos Estados Unidos, Alemanha, Polônia, Austrália, China e Índia.

A OCDE é um fórum mundial com foco na promoção de políticas públicas entre os países mais desenvolvidos do mundo, ou seja, aqueles que apresentam o maior Índice de Desenvolvimento Humano (IDH), auxiliando no desenvolvimento e expansão econômica dos participantes, focando na estabilidade financeira e fortalecimento da economia global. Atualmente, participam do fórum 35 países, entre eles, Dinamarca, França, Canadá, México, Noruega, Reino Unido, Chile, Portugal, Suécia, Suíça, Itália, Grécia, Japão, Israel, entre outros.

Com a Powering Past Coal Alliance, países, cidades e regiões se comprometeram a abdicar da fonte responsável por 40% da energia mundial, o carvão, que é considerado o principal indutor do aquecimento global, liberando a maioria dos gases de efeito estufa. “Para atender ao objetivo do Acordo de Paris de ficar abaixo de 2 graus Celsius precisamos eliminar o carvão”, disse a ministra do Meio Ambiente e Alterações Climáticas do Canadá, Catherine McKenna, em coletiva de imprensa durante a COP23, na Alemanha. “Há também uma urgência – o carvão está literalmente sufocando e matando pessoas. O mercado mudou, o mundo mudou. O carvão não tem volta”, comentou.

A aliança espera ter ao menos 50 membros na próxima conferência do clima da ONU, que será realizada em 2018, em Katowice, na Polônia, uma das cidades mais poluídas da Europa.

Você sabe em quantas situações do seu dia a dia em que o carvão é utilizado? Conta pra gente!

Tags:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *