10-04-2017

ODS 14 – Proteger a vida marinha

Os oceanos e mares fornecem diversos recursos para a sobrevivência humana. Por outro lado, apesar da pesca fornecer alimento e ser a fonte de renda de muitas pessoas, quando é feita de forma desregulada, desequilibra o ciclo biológico de seres marinhos e terrestres, pode ser nociva, aumentando o risco de extinção de várias espécies. Além disso, há o despejo de esgoto, produtos químicos, lixo e petróleo, que também comprometem o desenvolvimento saudável da vida marinha. Por esses motivos, as metas do ODS 14 são vitais para a preservação dos oceanos, mares e a biodiversidade. Esse objetivo tem como alvo a preservação e uso sustentável dos oceanos, mares e recursos marinhos.

Os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) fazem parte da Agenda 2030, um conjunto de ações que visam o desenvolvimento sustentável mundial até 2030 e podem ser conferidos aqui.

Iniciativas que contribuem com o ODS 14

No mundo, várias pessoas lutam para preservar a vida marinha e contribuem com as metas do ODS 14 com diversos projetos, entre eles estão:

1. Projeto Tamar

O Projeto Tamar atua há 35 anos na conservação da vida nos oceanos brasileiros, combatendo o risco de extinção de várias espécies de animais marinhos. Seus trabalhos foram iniciados com foco maior na pesquisa, preservação e monitoramento de tartarugas marinhas de várias espécies. Mas, ao longo dos anos, passou também a realizar estudos e esforços para a proteção de outros animais que vivem nesse ambiente e em seu entorno. O Projeto Tamar mantém, ainda, centros de visitação abertos à população em várias regiões do país, onde realizam palestras e trabalhos educativos sobre a preservação de mares e oceanos.

2. Seabin Project

Dois surfistas australianos desenvolveram o Seabin, uma espécie de lixeira-aspirador que, quando colocada na água, “suga” lixos e objetos jogados no mar. Dessa forma, funciona como um mecanismo de limpeza rápida da água desse ambiente. Vale informar que peixes e animais marinhos não são prejudicados com o seu uso, pois esses objetos são posicionados apenas nas bordas de portos e clubes que ficam próximos ao mar. O projeto já obteve financiamento em 2016 e deve ser colocado em prática em breve.

Como contribuir com o ODS 14

Pessoas, empresas e governos devem contribuir de diversas formas com a preservação dos oceanos e mares. Podem, inclusive, buscar soluções efetivas para o alcance desse objetivo, por meio destas e outras práticas como:

  • Não jogar lixo ou despejar qualquer substância nos oceanos e mares;
  • Recolher lixos e resíduos ao redor de praias e regiões costeiras;
  • Gerir e planejar o destino de resíduos industriais;
  • Utilizar produtos biodegradáveis;
  • Investir em pesquisas e projetos científicos voltados para a preservação da vida marinha;
  • Multar instituições que causam catástrofes no ambiente marinho;
  • Investir em tecnologias e projetos para despoluição de mares e oceanos;
  • Evitar a compra e produção de produtos que explorem de forma inadequada a vida marinha;
  • Realizar campanhas de educação sobre poluição do mar em locais de grande fluxo populacional;
  • Erradicar a pesca ilegal ou a sobrepesca.

Com essas e outras atitudes será possível preservar o ambiente marinho e manter a sua biodiversidade. Afinal, é nesse local que está a maior concentração de seres vivos da Terra e onde é produzida grande parte do oxigênio do planeta.

Produção de biodegradáveis no Brasil

A Novozymes é referência mundial na produção de enzimas e microrganismos, muitos deles utilizados para a fabricação de produtos de limpeza biodegradáveis. Desse modo, sua atuação busca reduzir impactos ambientais. Como signatária do Pacto Global da ONU, a Novozymes também promove os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) e possui projetos orientados ao desenvolvimento sustentável mundial.

Além disso, no Bioblog, publica conteúdos sobre essas e outras temáticas. Entre no site e saiba mais: www.bioblog.com.br.

Quer fazer um comentário?