Outros

O que são microalgas?

Microalgas

As microalgas representam diversos processos inovadores para a geração de produtos biotecnológicos e energia de forma sustentável.

Quando pensamos em algas, lembramos daquelas algas marinhas que habitam as profundezas dos oceanos, que se parecem com grandes e finas folhas. Estas e as microalgas fazem parte da mesma “família” de seres vivos, com a diferença na constituição celular de cada uma, ou seja, pelo número de células que as formam: as macroalgas, que lembramos mais facilmente, são pluricelulares, com estrutura formada por mais de uma célula, e as microalgas, assim como a maioria dos microrganismos, são unicelulares, formadas por uma única célula.

As microalgas crescem em ambientes aquáticos, tanto que são referidas também como plânctons nos oceanos, e têm um metabolismo parecido com o das plantas, já que dependem da reação de fotossíntese para sobreviver. Elas são mais comuns do que se imagina, até mais que as macroalgas, pois são capazes de crescer em qualquer tipo de água, doce ou salgada, dando aquela coloração esverdeada que muitos lagos e rios possuem. Junto com outros tipos de algas e macrófitas marinhas (plantas que sobrevivem em ambiente marinho, sem serem consideradas algas), as microalgas são extremamente importantes para a produção de O2 presente na atmosfera do planeta, atuando no equilíbrio do ecossistema ao fazer a conversão do gás carbônico (Mesmo em baixo d’água, esses microrganismos são capazes de coletar CO2 para utilizar no seu desenvolvimento) em oxigênio.

Sua importância e fácil adaptação têm chamado a atenção de cientistas do mundo todo em formas de aplicar as microalgas como “controladores do efeito estufa”, por serem tão efetivas quanto uma floresta na formação de oxigênio e precisarem de uma área útil de crescimento bem menor. Além de limparem essa poluição, a biomassa que formam depois do crescimento tem um potencial de substituir plástico e ainda ser utilizada na produção de energia – formando biodiesel.

Pesquisadores estão impressionados com a produtividade das microalgas: de dentro de suas células, é possível extrair um óleo tão rentável para produzir biodiesel quanto o proveniente das plantas. E por quase metade da área utilizada para plantio, é possível montar um reator de microalgas de alta produtividade. Tudo que é preciso é um meio aquoso adequado, luz solar, e deixar as microalgas se desenvolverem como uma tecnologia biotecnológica inovadora.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *