Outros

O que são biorreatores?

Biorreatores

Os Biorreatores são equipamentos essenciais nas indústrias e laboratórios, não somente voltados à Biotecnologia, mas para muitos processos que envolvem microrganismos e células dos mais diversos ramos e tipos.

Biorreatores, chamados também de fermentadores (apesar de existirem tipos que trabalham outros processos além da fermentação), são tanques fechados onde se controlam as condições adequadas para um processo biológico ocorrer da melhor forma possível, sendo elas, na maioria dos casos, temperatura, agitação, aeração (quantidade de oxigênio que entra no sistema) e pH. Existem variedades, atualmente, de biorreatores para os mais diversos processos. Mas desde quando eles existem?

Os primeiros biorreatores foram construídos durante a Primeira Guerra Mundial, pela demanda de produção de acetona. Mas foram necessárias várias modificações e melhorias para levar em conta fatores importantes dentro de um processo biológico, como a assepsia (condição onde seu ambiente está o mais limpo possível, ou o mais controlado possível para que não haja contaminações), a localização de tubulações e válvulas, e também formas de se aumentar a escala trabalhada. Foi por volta dos anos 40 que um biorreator de capacidade mais alta, aproximadamente 20 litros, foi construído, para a produção de leveduras. A descoberta da Penicilina também foi um fator que impulsionou o desenvolvimento dos biorreatores, já que era necessário um meio de produzir o antibiótico em largas escalas e de forma segura.

E ao longo dos anos, cada vez mais houve um desenvolvimento e aprimoramento no desempenho e design de biorreatores. Tanto que, hoje, o controle do processo é muito mais preciso, por ser feito com auxílio de computadores, e pode-se controlar praticamente todo o processo, desde nutrientes que entram, de gazes que estão sendo liberados, até mesmo do tanto de microrganismos que estão se desenvolvendo dentro do reator. Uma das coisas mais impressionantes é a variedade de tipos que se dividem os biorreatores.

Além dos tanques convencionais, existem biorreatores exclusivos para algas (chamados de fotobiorreatores, já que permitem e precisam da entrada de luz), aqueles adaptados para crescimento de células animais, reatores que são utilizados diretamente no tratamento de efluentes e até mesmo o desenvolvimento (pela NASA!) de biorreatores para o crescimento de tecidos humanos.

Mas, independentemente do tipo, os biorreatores são essenciais para diversos processos. Basicamente, se uma fermentação ou crescimento de algum microrganismo ou célula de um organismo é necessária para o resultado adequado de um produto, ela é feita por um biorreator. Isso se aplica a produção de medicamentos, cerveja, biofertilizantes, e, sem sombra de dúvidas, para a produção industrial de enzimas.

Já vimos antes um pouco desses equipamentos no post de Engenharia de Bioprocessos, não somente por ele poder ser desenvolvido por um profissional da área, mas também por sua importância. Conta para a gente nos comentários o que achou desse equipamento, as vezes pouco conhecido, mas que merece destaque por sua variedade de aplicações.

Não esqueça de compartilhar com os amigos, e deixar sua curtida!

Tags:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *