Sustentabilidade

O que podemos fazer para adiar o Dia da Sobrecarga da Terra?

Em 2021, o Dia da Sobrecarga da Terra será em 29 de Julho, mais cedo do que nos últimos 2 anos

O Dia da Sobrecarga da Terra marca a data em que a demanda sobre a natureza vai além do que o planeta pode regenerar durante um ano. Ou seja, no dia 29 de Julho desse ano, a humanidade terá utilizado todos os recursos naturais e serviços ecológicos , incluindo a capacidade dos ecossistemas naturais de absorverem as emissões de carbono a partir da queima de combustíveis fósseis. O Dia da Sobrecarga da Terra é organizado e calculado pela Global Footprint Network, uma organização internacional de pesquisa que fornece aos tomadores de decisão um menu de ferramentas para ajudar a economia humana a operar dentro dos limites ecológicos da Terra.

A organização também calcula essa data se o mundo consumisse como a população de cada país consome. Por exemplo, se o mundo todo tivesse os mesmos hábitos de consumo do brasileiro, a data seria dia 27 de Julho em 2021. Já se todos seguissem os hábitos dos norte americanos ou canadenses, a data seria muito mais cedo, dia 14 de Março. Um dos motivos de a data para o Brasil ser mais tarde do que para os Estados Unidos é porque nossa pegada de carbono por pessoa é muito menor. Além disso, a biocapacidade do país é de 8,9 hectares por pessoas devido às nossas imensas florestas.

Biocapacidade: É a área biologicamente produtiva que fornece capacidade biológica renovável, incluindo a reposição de recursos e a absorção de resíduos como o dióxido de carbono de combustíveis fósseis.

E será que nós podemos fazer algo para ajudar a mover a data do Dia da Sobrecarga da Terra para mais tarde? A resposta é: Sim! Nós podemos! Com pequenas ações no nosso dia a dia podemos ajudar o desenvolvimento sustentável do nosso planeta!

 

Veja as dicas que os Zymers têm para você!

 

ESPONJAS: Você sabia que as enponjas que usamos para lavar a louça são majoritariamente compostas por plásticos e que podem soltar microplásticos durante seu uso? Difícil, né? Sabia que é possível substituí-las pela bucha vegetal? Sim, parece estranho, mas uma zymer relatou que super funcionou com ela! Além disso, você pode plantar sua própria bucha, o que é super sustentável. Para saber mais clique aqui.

“Nos primeiros dias foi estranho lavar louça com a bucha vegetal, eu achei que ia ser difícil de mantê-la limpa e até mesmo que ela iria riscar as louças. Acontece que ela é super macia, limpa e não agride as louças, agora só uso a bucha vegetal em casa” Angela Fey (ANFE).

 

SHAMPOO E CONDICIONADOR: Outra dica é substituir o shampoo e o condicionador líquidos, adquiridos geralmente em embalagem plástica, pelos em barra! Já ouviu falar? Algumas zymers já adotaram essa ideia e super aprovaram! Zero plástico de embalagem e cabelos limpinhos, hidratados e cheirosos!  Encontre produtos para cabelo em barra clicando aqui.

“O resultado na limpeza e hidratação é o mesmo, mas, a grande vantagem está na praticidade para viagens. Shampoo e condicionador em barras são pequenos (obviamente não contam como líquido quando falamos em viagem de avião) e duram bastante tempo, nunca mais fiquei sem shampoo em viagens”. Angela Fey (ANFE).

 

ESCOVA DE DENTES: Você sabia que cada escova de dente que você usou até hoje ainda existe na natureza? Sim! O plástico demora muitos anos para se decompor. Que tal trocar a escova convencional pela de bambu, que é um material ecológico? Clicando aqui você encontra algumas opções para adquirir a sua (essa também tem o selo de aprovação Zymer, viu?).

“A única diferença que tive do uso de uma escova comum, é que a de bambu precisa ser sempre seca depois do uso, para evitar altos níveis de umidade na madeira. Mas fora isso, até me surpreendi como as cerdas são macias e como a escova é mais leve que a de plástico! Achei até mais confortável por isso”. Letícia Malinoski (LCM).

 

FIO DENTAL: Seguindo a linha de higiene bucal, você já parou para pensar nos impactos do fio dental? Bom, apesar de ser um item indispensável para mantermos nossa saúde bucal, o fio dental é, em sua maioria, composto de náilon e outros filamentos plásticos, que não são recicláveis nem biodegradáveis e levam cerca de 400 anos para se decompor. Além do fio em si, a embalagem também é de plástico, não é reutilizável e, muitas vezes, vai parar direto nos rios e oceanos. Diante disso, já existem opções mais sustentáveis no mercado como os de bambu e amido de milho em embalagens de vidro ou metal. Você pode encontrar o fio dental 100% de amido de milho clicando aqui.

“O fio vem em um pequeno potinho de vidro, e até agora não tenho reclamações, a troca foi igual! O preço é mais caro do que as marcas mais convencionais, mas já percebi que a marca oferece refil para o potinho, o que pode ser que facilite muito nesse quesito”. Letícia Malinoski (LCM).

 

ROUPAS: Já tem muito Zymer que sempre está doando roupas que não usa mais e comprando o que precisa em brechós. Mas, o que fazer com aquela blusinha que não serve nem de pano de chão? Pois bem, a C&A possui um movimento chamado ReCiclo e por meio dele você pode levar suas roupas em alguma loja que faça parte do movimento e descartá-laem coletores.Bacana né? Para mais informações acesse: Movimento ReCiclo.

“Isso era um mega desafio pra mim, até eu conhecer o movimento ReCiclo, da C&A. Em lojas selecionadas, eles possuem um coletor no qual você pode descartar as roupas que não estão em condições de serem doadas. Eu sempre levo as minhas na C&A da XV”. Barbara Blanch (BBTS).

 

CARNE: Infelizmente  a produção agropecuária ainda emite muitos gases de efeito estufa e está atrelada a outros desafios como grande consumo de água. Que tal se juntar a alguns zymers e aderir ao movimento Segunda sem carne? Trata-se de um movimento que surgiu nos Estados Unidos em 2003 e visa a redução do consumo de carne. Clicando aqui você pode acessar algumas receitinhas para a sua Segunda sem carne (Meat Free Monday).

“Juntar-se ao movimento Meat Free Monday, como uma maneira de reduzir o consumo de carne, mas sem ser radical. Eu fui vegetariana por pouco mais de dois anos, e não estudei o suficiente nem fiz acompanhamentos médicos pra saber se minha mudança na alimentação estava sendo benéfica, então tive problemas de deficiência de ferro e algumas vitaminas e retornei à dieta “normal”. Hoje em dia eu tenho um consumo de carne reduzido, mas já tenho a consciência de que se eu for me tornar vegetariana novamente esse é um movimento que requer estudo e acompanhamento (na minha experiência pelo menos)”. Barbara Blanch (BBTS).

 

ENERGIA SOLAR: Já pensou em utilizar fontes alternativas de energia em casa? O investimento em painéis solares, apesar de alto, vale muito a pena a longo prazo já que pode substituir o uso do aquecimento a gás ou elétrico, por exemplo. Além de contribuir para o seu bolso lá na frente, também contribui para o meio ambiente J Clicando aqui você descobre quantas placas solares são necessárias para a sua residência.

“Também tentamos usar equipamentos que gastem muita energia em horário que tenha geração, por exemplo: se vamos lavar roupas, damos prioridade para o momento de maior incidência solar”. Stefania Vital (SVTB).

 

ÁGUA: Economizar água também é uma atitude sustentável. Em geral, nós consumimos muito mais água do que o necessário para suprir nossas necessidades básicas. Continuamos enfrentando uma crise hídrica no nosso estado e agora, mais do que nunca, é muito importante avaliar nossos hábitos de consumo desse bem tão precioso! Reutilizar a água da máquina de lavar roupas e louças para lavar as calçadas, o carro ou dar descarga, reduzir o tempo de banho e não deixar a torneira aberta sem necessidade são algumas ações simples que podem contribuir muito com a economia de água. No site da sanepar você encontra mais dicas!

“A máquina de lavar louça deu uma diferença grande na conta de água, guardo a água para esquentar o chuveiro para dar descarga; tomamos banho em seguida para não gastar mais água para esquentar novamente o chuveiro; reservo água de outras atividades para lavar o quintal sujo por causa da minha cachorra e tentamos economizar de forma geral”. Stefania Vital (SVTB).

 

RECICLAR: Reciclar é muito importante para reduzirmos a geração de resíduos e minimizar a quantidade de lixo que vai parar onde não deve. Mas realizar a reciclagem não é tão simples assim, né? Para tentar aproximar os catadores dos geradores de resíduos, foi criado um aplicativo chamado Cataki. Para baixar o app e obter mais informações clique aqui. Já tem Zymer usando o app, olha só:

“Eu sempre me questionei se os resíduos recicláveis que eu separo e descarto eram realmente levados para a reciclagem, então comecei a usar o app, pois sei que todo o material que deixo com eles é devidamente reciclado. Eu acumulo por um bom tempo, para ter volume e então entro em contato para fazerem a retirada. O legal é que você pode escolher o dia da coleta e se deseja que seja realizada por mulheres solo, homens ou famílias. A única parte ruim é que vc acorda um valor para que a retirada seja realizada, ela não é gratuita. Mas se você pensar que está ajudando uma família que precisa então esse valor não é um peso ahha. Ah, e tem coleta de materiais que a gente normalmente não sabe como dar fim, como baterias, pilhas, móveis e entulhos”. Audrey Fontana (ADF).

 

LOGÍSTICA REVERSA (EMBALAGENS DE REMÉDIOS E COSMÉTICOS): Uma outra dica legal é procurar programas de logística reversa! Existem embalagens de alguns tipos de produto que você não pode simplesmente descartar no reciclável. Por exemplo, blisters de remédios, eles não devem ser descartados em lixo comum nem reciclados pois os resíduos químicos, por mais que sejam bem pequenos, podem se acumular nos ambientes e causar impactos negativos para a vida presente neles e por isso os blister devem ser descartados em pontos de coleta específicos (farmácias) e posteriormente incinerados. Para saber mais sobre como descartar os blisters clique aqui.

“Aqui em casa eu junto todos os blisters e espero dar uma acumulada e levo em alguma farmácia que tenha ponto de coleta. Aqui em São José a Panvel e a Droga Raia possuem pontos”. Lara Thaís Carvalho (LCV).

Além disso, algumas marcas de cosméticos como a Natura, por exemplo, possuem programas por meio dos quais recolhem as embalagens de seus produtos nas suas próprias lojas. Para saber mais sobre o programa de logística reversa da Natura clique aqui.

“Eu comecei a guardar as embalagens de cosméticos para entregar no programa de logística reversa da Natura. A cada 5 embalagens você ganha um presente”. Audrey Fontana (ADF).

 

Tags:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *