BioenergiaSustentabilidade

O que é a cana-energia? Qual a diferença dela e de uma cana-de-açúcar convencional?

cana-energia

A cana-energia é produto de inovações da biotecnologia em prol da geração de energia renovável com maior rentabilidade e menos resíduos.

A produção de etanol a partir da cana-de-açúcar é destaque no Brasil e no cenário de geração de energia renovável mundial, por ter se adaptado à produção dos vários tipos de cana de forma rentável. E a cana-de-açúcar tem uma produtividade ótima, já que é possível produzir cerca de 7 mil litros de etanol à base de um hectare plantado de cana (Segundo dados da Super Interessante). Mas ainda existe um empecilho: mesmo com o nome, a cana-de-açúcar ainda possui 54% menos de açúcares fermentescíveis (que viram etanol) que o milho, por exemplo. O que pode ser feito, com a biotecnologia, para contornar este problema? É aí que entra a cana-energia!

A cana-energia é um tipo de cana desenvolvida a partir de vários melhoramentos genéticos para que houvesse uma alternativa a esta planta que pudesse, como o próprio nome implica, ser utilizada na produção de energia. Em comparação com a cana convencional, a cana-energia possui uma maior quantidade de fibras em sua composição, é mais fina e mais alta e possui uma aptidão, dentro do seu DNA, para crescer em áreas com solos menos nutritivos e que sofram com secas. Além disso, é possível plantar, numa mesma região, três vezes mais cana-energia do que era plantado em cana-de-açúcar comum.

Mas, qual a grande vantagem nisso?

Esse maior teor de fibras na cana-energia torna possível melhorar o rendimento de etanol de segunda geração adquirido pela cana-energia, assim como obter uma matéria prima ideal para a geração de energia térmica e elétrica por queima. Estudos dos últimos anos já demonstram que a cana-energia consegue aumentar a produção de etanol em até 232% e a geração de energia elétrica até 1200% por mesma área plantada comparada a cana convencional!

A cana-energia já começou a ser utilizada em algumas regiões do Brasil, mas ainda precisa de avanços na tecnologia de equipamentos e maquinário produtivo para ser vista como matéria-prima principal da geração de energia e bioetanol. É o resultado de processos biotecnológicos para cada vez mais otimizar a forma que fazemos uso de nossos recursos e trazemos novas possibilidades dentro do cenário de bioenergia, sem afetar o nosso planeta.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *