16-09-2016

O processo de produção de celulose

São diversos os processos para a produção da celulose, desde a colheita da madeira até a secagem e embalagem das folhas.

Um relatório do BNDES aponta que o Brasil está no 11º lugar no ranking de países produtores de papel. Esse lugar de destaque se deve à eficácia no processo de produção de celulose. Semelhante ao açúcar, a celulose é um polissacarídeo que faz parte da parede celular das fibras das plantas, constituindo amadeira. Através do processo industrial é possível extrair a celulose da madeira, a qual é utilizada principalmente na indústria de papel, mas também na obtenção de fibras artificiais, entre eles o raiom. Processos distintos dão origem a diferentes espécies de fibra. O "raiom viscoso", por exemplo, obtido a partir do aquecimento da celulose com soda cáustica, quando combinado ao algodão e outros itens, resulta em uma enorme variedade de tecidos. Além disso, a celulose também é uma das matérias-primas utilizadas para a fabricação de vernizes e explosivos.

Produção da matéria-prima

Para extrair a celulose é necessário que a madeira passe por vários processos, desde a escolha das toras até a extração da lignina e transformação dos cavacos em fibras de celulose. São várias as etapas de produção, veja a seguir:

  1. Colheita: ela acontece no local onde a madeira é cultivada. Esse processo está dividido em três etapas: colheita, corte e descascamento e o material não aproveitado como casca, galhos e folhas são deixados na terra para servir de matéria orgânica.
  2. Cavacos: a segunda etapa diz respeito à produção de cavacos, para isso as toras são lavadas, picadas em tamanho pré-estabelecido e peneiradas. Depois disso os cavacos costumam ser armazenados em locais fechados, como silos.
  3. Cozimento: é a partir do cozimento que ocorre a dissociação da lignina e os cavacos dão origem a uma pasta marrom, conhecida como celulose não branqueada. Para isso é preciso estar a 150º C, tendo adicionado sulfato de sódio e soda cáustica, assim a lignina é dissolvida e a celulose é liberada como polpa de papel de maior qualidade.
  4. Separação: a depuração separa as impurezas da madeira das partes de cavaco que ainda não passaram pelo cozimento. Posteriormente é retirada uma substância que junta as células da celulose, chamada de lignina.
  5. Branqueamento: tem como objetivo deixar a celulose em sua cor natural por meio de tratamento químico ou pelo tratamento enzimático, o qual reduz o tempo de processo com menor consumo de energia. Esse processo consistente em peneirar a celulose e, com isso remover as impurezas, deixando suas propriedades mais requintadas.
  6. Secagem: as etapas de produção chegaram ao fim. Aqui ocorre a secagem, em que é extraída a água da celulose para que o polissacarídeo alcance equilíbrio satisfatório com a umidade relativa do ar.

Após essas etapas, a celulose é embalada. Com a cortadeira as folhas são reduzidas em pedaços menores e distribuídas em fardos, essenciais para a produção dos mais diversos tipos de papéis.

Quer fazer um comentário?