Outros

Microalgas e sua gigantesca variedade de aplicações

Microalgas Aplicações

De biocombustíveis a antioxidantes, as microalgas são microrganismos com um enorme potencial biotecnológico industrial.

O uso de soluções biotecnológicas na formação e adequação de processos e produtos é um tema em evidência nos últimos anos, principalmente pela crescente procura de maneiras mais sustentáveis de produção, e são nessas soluções que o estudo de microrganismos se destaca, devido à grande capacidade destes seres vivos de gerar produtos aplicados em diferentes áreas como alimentação, saúde e produção de energia. As microalgas são um exemplo que pode ser aplicado a todas essas áreas – e mais.

As microalgas são microrganismos que se crescem em baixo d’água e podem se desenvolver de forma autotrófica, ou seja, são capazes de produzir sua própria fonte de alimento (de energia) a partir de uma reação própria, neste caso, a fotossíntese (a produção de energia a partir da luz). Esse desenvolvimento permite que as microalgas se adaptem a várias situações, aumentando a gama de processos que elas podem ser produzidas, quase como se tivéssemos uma planta que consegue se desenvolver com um metabolismo tão simples quanto o de uma bactéria.

O processo de fotossíntese possibilita às microalgas serem utilizadas como microrganismos biorremediadores, ou seja, que tem capacidade de tratar ou remediar a poluição de um ambiente. Por fotossíntese, as microalgas conseguem usar luz para absorver CO2, usá-lo como alimento e ainda gerar quantidades significativas de O2, sendo tão efetivas nesta conversão quanto uma floresta inteira.

O interessante de se produzir microalgas está nas substâncias que constituem sua composição química, isto porque as algas possuem alta concentração de pigmentos. O verde característico das microalgas é determinado pela presença de clorofila, que pode ser extraída e utilizada como um corante em várias indústrias, mas existem variedades de microalgas que se destacam por uma coloração avermelhada, dada pela presença dos pigmentos chamados carotenoides.

Entre os tipos de carotenoides se destaca a Astaxantina, muito valorizada comercialmente não só pelo potencial como corante, mas por suas propriedades antioxidantes (que ajuda a diminuir inflamações, principalmente) ao ser inserida como um suplemento na alimentação.

As microalgas também possuem componentes interessantes para a produção de biocombustíveis, como altas concentrações de óleo dentro de suas células, capaz de ser convertido em biodiesel depois de extraído, assim como a presença de amido e celulose na parede celular das algas, que pode ser transformado em bioetanol.

São muitas possibilidades, mesmo com um processo que não exige uma situação específica, é crucial o uso processos biotecnológicos que cada vez mais otimizem industrialmente a produção e a obtenção de produtos com potencial econômico tão grande, com capacidade de serem obtidos de forma sustentável.

Tags:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *