International News

Mais de 42 milhões sofrem com a fome na América Latina e Caribe segundo relatório da FAO

Só na América do Latina, a fome cresceu de 5%, em 2015, para 5,6%, em 2016, o que representa a maior parte do aumento da fome na região.

Dados divulgados pela Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) mostram que 42,5 milhões de pessoas estão em situação de fome na América Latina e Caribe, representando 6,6% da população regional, ou seja, um aumento de 2,4 milhões de pessoas desde o ano de 2015, é o que mostra o segundo relatório Estado da Segurança Alimentar e Nutricional no Mundo, de 2017.

“A fome está aumentando na América Latina e no Caribe pela primeira vez na última década. Isso é inaceitável e todos os latino-americanos e caribenhos deveriam se sentir pessoalmente afetados por esse retrocesso. Não podemos dar um passo atrás, colocando em risco a saúde, o bem-estar ou mesmo a vida de milhões de pessoas”, disse o Representante Regional da FAO, Julio Berdegué, durante a encontro regional da entidade na Jamaica, no último mês de março.

A publicação também destaca a prevalência da subnutrição, no mundo, que aumentou 11% em 2016, mostrando que cerca de 815 milhões de pessoas sofrem com a fome mundialmente. O aumento foi observado na maior parte das regiões do mundo, mas os maiores retrocessos se deram em partes da África e da Ásia. Embora os níveis da fome permaneçam baixos na América Latina e no Caribe em comparação com o resto do mundo em desenvolvimento, há sinais claros de que a situação está se deteriorando.

Só na América Latina, a fome cresceu de 5%, em 2015, para 5,6%, em 2016, o que representa a maior parte do aumento da fome na região. “Nos últimos anos, a América Latina e o Caribe foram líderes mundiais na redução da fome. Agora, segundo os dados, estamos seguindo a preocupante tendência mundial”, ressaltou Berdegué.

O relatório é uma publicação conjunta da FAO, do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), da Organização Mundial da Saúde (OMS), do Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (FIDA) e do Programa Mundial de Alimentos (PMA).

Berdegué convoca para o enfrentamento de todas as formas da má nutrição com a promoção de sistemas alimentares que priorizem os mais pobres, que são os que gastam a maior parte da renda com comida e têm muitas dificuldades para acessar alimentos saudáveis e nutritivos. Essa é uma das metas dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS1) que trata sobre a Erradicação da Pobreza e visa, entre outras metas, reduzir em pelo menos 50% a proporção entre homens, mulheres e crianças de todas as idades que vivem na pobreza.

Buscando mostrar como a Biologia pode contribuir para vencermos a pobreza e a fome, uma das iniciativas da Novozymes para ajudar a promover a sustentabilidade e a erradicação da pobreza está relacionada à educação, oportunizando que crianças e adolescentes tenham acesso a conteudos inovadores, interativos sobre temas relevantes ligados os ODS, como é o caso do livro-aplicativo, lançado em 2016, que faz parte do projeto EDUCAÇÃO da Novozymes e apresenta a obra Frritt-Flacc, do autor francês Jules Verne, de forma remodelada. Frritt-Flacc é um conto de suspense e terror que aborda as diferenças sociais e a mesquinhez da humanidade frente ao problema.

Para fazer o download do livro aplicativo basta acessar a página www.bioapp-novozymes.com.br.

Tags:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *