Tratamento de água

Frente Parlamentar dos Rios Brasileiros é lançada em Brasília

A proposta da Frente Parlamentar é discutir as políticas públicas relacionadas à água, além da conscientização sobre o consumo responsável e sustentável

Durante o Fórum Mundial da Água (18 a 23 de março), realizado em Brasília, foi lançada a Frente Parlamentar dos Rios Brasileiros, na Câmara dos Deputados, que tem como proposta ampliar a discussão sobre políticas públicas relacionadas à oferta e ao tratamento da água no Brasil, além de buscar alertar a população sobre a importância do consumo responsável e sustentável. O lançamento da frente é para marcar as homenagens ao Dia Mundial da Água (22 de março).

A nova Frente Parlamentar é composta por cerca de 200 parlamentares durante a 18ª edição do evento que tem como proposta fazer um debate global sobre o tema, reunindo a sociedade civil, pesquisadores, empresas e órgãos governamentais a discutir soluções para a maior eficiência hídrica e energética.

O presidente da Câmara Federal, Rodrigo Maia, reforçou a preocupação com o uso desenfreado desse recurso e traçou um paralelo preocupante para o país. “O Nordeste experimenta, desde 2010, uma grave crise hídrica que também ocorreu no Sudeste em 2014. No Distrito Federal, a população enfrenta racionamento de água há mais de um ano. A crise hídrica serve de advertência, pois abundância de recursos hídricos não significa permissão para o consumo excessivo”, disse.

É o que reforçou também o Secretário do Meio Ambiente do Distrito Federal, Igor Danin Tokarski. “Com as medidas de restrição ao uso da água, o consumo do recurso no DF caiu de 147 litros per capita, em 2016, para 109 litros em capita, em 2017. O patamar recomendado pelas organizações internacionais é de 110 litros per capita”, comentou.

O diretor da Fundação Mais Cerrado, Paulo Fiuza, mencionou a necessidade de criação de um “pacto pelas águas”, com a união de produtores rurais, pesquisadores e comunidades tradicionais para produzir “alimentos de qualidade com água de qualidade e tecnologia nacional”.

Tags:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *