Sustentabilidade

Fórum Urbano em Abu Dhabi lança plataforma global de medição da qualidade do ar

A ferramenta reúne dados sobre poluição do ar fornecidos em tempo real por mais de 4 mil colaboradores.

O Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA), o Programa das Nações Unidas para Assentamentos Humanos (ONU-HABITAT) e a empresa suíça IQAir lançaram no dia 10 de fevereiro, em Abu Dhabi, a maior plataforma de dados de qualidade do ar do mundo.

A ferramenta reúne dados sobre poluição do ar fornecidos em tempo real por mais de 4 mil colaboradores, incluindo cidadãos, comunidades, governos e setor privado, com o objetivo de tornar as cidades mais saudáveis ​​e sustentáveis.

Lançada no 10º Fórum Urbano Mundial, a iniciativa alcança mais de 15 milhões de usuários e conta com mais de 7 mil cidades participantes em todo o mundo. Visa sustentar e ampliar o principal banco de dados sobre a qualidade do ar do mundo.

Compartilhados em uma única plataforma coordenada pela ONU, os dados servirão de base para que governos possam formular políticas públicas mais eficazes, e estarão disponíveis aos cidadãos para que possam fazer escolhas informadas sobre sua saúde e exigir ações de autoridades.

Para as empresas, a ferramenta dará a possibilidade de escolher investimentos que proporcionem ambientes mais limpos e ecológicos.

A necessidade de agir é urgente, lembrou o PNUMA. Globalmente, 7 milhões de pessoas morrem a cada ano por conta da poluição do ar. Desse total, 650 mil são crianças. Os poluentes atmosféricos não afetam apenas a nossa saúde, mas também os ecossistemas e a produção de alimentos, além de estarem relacionados às mudanças climáticas. Apesar disso, a maioria dos cidadãos não tem acesso a dados sobre qualidade do ar em tempo real.

“A poluição do ar é uma emergência de saúde pública e ambiental que afeta a todos nós, em todos os lugares do mundo”, disse a diretora-executiva adjunta do PNUMA, Joyce Msuya. “Estamos felizes com o lançamento desta parceria com o ONU-HABITAT e a IQ Air que trará informações e, principalmente, irá incentivar ações de cidadãos, governos e do setor privado”.

A plataforma do PNUMA se baseia na tecnologia da IQAir para agregar, validar e calibrar dados sobre a qualidade do ar que até agora estavam restritos a sites ou aplicativos individuais ou não compartilhados publicamente. O ONU-HABITAT ajuda as cidades a desenvolver planos para reduzir a poluição do ar, melhorando o transporte público e o gerenciamento de resíduos.

Mesmo dentro de um único país ou cidade, o acesso à informação sobre a qualidade do ar pode variar de comunidade para comunidade. Enquanto na Europa, na Ásia e na América do Norte há milhares de estações de monitoramento fornecendo informações em tempo real sobre o PM2.5 (o material particulado fino amplamente responsável por mortes e doenças), muitos países em desenvolvimento não têm essa infraestrutura.

Por exemplo, a África, um continente de 1,3 bilhão de pessoas, tem apenas 50 estações de monitoramento da qualidade do ar acessíveis ao público. Imediatamente após o lançamento desta plataforma, esse número aumentará para 85, com a inclusão das autoridades da cidade de Addis Abeba, Nairóbi e Kampala, que estão ativamente engajadas na implantação de redes locais de monitoramento.

“A má qualidade do ar é um problema que afeta as populações urbanas de maneira particularmente séria. A capacidade de medir e tomar medidas para melhorar a saúde das pessoas que vivem em nossas cidades é crítica e o ONU-HABITAT se orgulha de fazer parte deste importante trabalho”, disse o diretor-executivo do ONU-HABITAT, Maimunah Mohd Sharif.

A plataforma aborda a lacuna global de informações sobre qualidade do ar, reunindo dados coletados por governos, ONGs, empresas, grupos e indivíduos da comunidade local. Qualquer pessoa pode se inscrever para contribuir com dados da qualidade do ar em tempo real.

Para garantir a precisão das informações, a IQAir fornece sua experiência criando e operando seu mapa global da qualidade do ar para garantir a confiabilidade dos dados publicados por meio de seu sistema de validação e calibração, que utiliza algoritmos avançados de aprendizado automático. “Reconhecemos que algumas das comunidades mais vulneráveis ​​do mundo são desproporcionalmente afetadas pela baixa qualidade do ar”, disse o presidente-executivo IQAir, Frank Hammes.

“Por meio da nossa parceria com o PNUMA e o ONU-HABITAT, capacitamos mais cidadãos, comunidades e governos em todo o mundo a monitorar sua qualidade do ar com sensores da poluição do ar de baixo custo para que possam fazer as alterações necessárias e respirar um ar mais limpo e saudável”.

Ao melhorar o acesso a dados sobre a qualidade do ar em tempo real, espera-se que essa colaboração exclusiva entre agências da ONU, setor privado e governos locais acelere os esforços para mudar a forma como o transporte, a gestão de resíduos e outros serviços são gerenciados nas cidades, para que a poluição do ar proveniente dessas atividades seja significativamente reduzida, se não eliminada.

Existem exemplos de políticas bem-sucedidas para melhorar a qualidade do ar: na capital chinesa, Pequim, por meio de uma abordagem sistemática baseada no conhecimento científico e coordenada com sucesso com cidades e regiões vizinhas, a concentração de material particulado fino (PM2.5) no ar caiu 35% em apenas cinco anos (2013-2017).

Tags:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *