Bioenergia

Especialista da CerradinhoBio conta a experiência do uso da Fermax® na indústria

Cada vez mais, a CerradinhoBio busca ampliar sua atuação e produção diversificando suas matérias-primas voltadas à produção de energia elétrica e biocombustíveis.

Uma das maiores empresas no setor de Álcool e Açúcar da região Centro-Oeste do Brasil, a CerradinhoBio foi criada na época da expansão do setor sucroalcooleiro na região e hoje é referência nacional na produção de etanol. Cada vez mais, a CerradinhoBio busca ampliar sua atuação e produção diversificando suas matérias-primas voltadas à produção sustentável de energia elétrica e biocombustíveis.

Um dos diferenciais dessa indústria de destaque no país é sua abertura para novas tecnologias, como é o caso do apoio à biotecnologia como uma importante aliada para o seu processo produtivo. A empresa foi uma das primeiras indústrias do país a conferir na prática os benefícios do uso da enzima Fermax®, uma solução brasileira criada pela Novozymes, multinacional dinamarquesa líder na produção de enzimas e o biossoluções.

A Fermax® é uma enzima que ajuda a evitar a formação de espuma, muito comum nos processos produtivos tradicionais, durante a fermentação do caldo ou melaço de cana-de-açúcar. O excesso de espuma pode causar o transbordamento no tanque de fermentação, provocando desperdício de matéria-prima e diminuindo a eficiência da planta. Além disso,  a espuma ocupa parte do volume útil do tanque, limitando a capacidade de produção de etanol da planta. É uma enzima do tipo protease, capaz de hidrolisar as proteínas presentes no meio fermentativo, principalmente, nos entornos das leveduras, diminuindo drasticamente a estabilização da espuma. Assim, a espuma não chega a se acumular, colapsando rapidamente, além de se tornar menos densa e mais clara. Logo, o produto atua de forma a reduzir o volume de espuma presente no processo.

A analista de processos industriais, com formação em Ciências Biológicas, Sidmara Cristina Carvalho da Silva, da CerradinhoBio, conta como foi o processo de adaptação da planta para a utilização da Fermax®. “Foi um processo muito bom, de fácil aplicação e observamos já os resultados nas primeiras aplicações. Nossa operação se adaptou muito bem, pois os benefícios nos surpreenderam e os resultados superaram as nossas expectativas”.

Segundo ela, antes da criação da Fermax® a CerradinhoBio trabalhava com a utilização de produtos tradicionais na tentativa de controlar a espuma. Com a nova enzima, entre os benefícios que foram observados na planta, estão a desfloculação do fermento, redução de espuma, melhoria na concentração do fermento nas centrífugas, aumento de volume útil das dornas, aumento da viabilidade e melhorias no controle na contaminação bacteriana. “Antes usávamos algumas técnicas de aplicações dos produtos tradicionais, mas devido à floculação intensa a tensão superficial era sempre maior, acabando por atrapalhar as aplicações e ação dos produtos, com isso dificultava o controle das espumas. Gostamos de inovação e optamos por testar essa enzima que já estava homologada”, conta.

A formação de espuma no processo de produção de etanol é um problema recorrente, que se for devidamente controlado, pode contribuir para o aumento da eficiência no uso de insumos de controle e produtividade de uma planta produtiva.

E o intercâmbio de experiência também conta muito para uma utilização cada vez mais efetiva da Fermax®, por isso, em abril, durante dois dias, os especialistas de aplicação da Novozymes, Rodrigo Basso e Marco Bergamini, realizaram treinamentos in-company na CerradinhoBio, no município de Chapadão do Céu/GO. Participaram das atividades cerca de 48 colaboradores da usina, entre eles os operadores, analistas e encarregados do processo, abrangendo os turnos A, B e C.

Leia a versão em espanhol aqui: http://www.bioblog.com.br/especialista-de-cerradinhobio-cuenta-la-experiencia-del-uso-de-fermax-en-la-industria/

Tags:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *