17-03-2017

Composição da matriz energética brasileira

Os últimos indicadores sobre a matriz energética brasileira são bastante animadores, cerca de 43,9% da Oferta Interna de Energia Brasileira tem como origem fontes renováveis, tornando-a uma das mais limpas do mundo. Para se ter ideia, a matriz energética mundial em 2007 correspondia a 82% de combustíveis fósseis. Este dado referente ao Brasil vem positivamente ao encontro de uma necessidade urgente disseminada com frequência nos noticiários mundiais: o combate à utilização indiscriminada de combustíveis fósseis e o quanto é indispensável passar a utilizar fontes de energia renováveis e menos poluentes.

Energia renovável diz respeito àquela que tem como matéria-prima recursos que são capazes de se renovar em um curto período de tempo. No Brasil, as mais utilizadas são os biocombustíveis, como o biodiesel (https://www.bioblog.com.br/o-que-e-biodiesel/) e, principalmente, o etanol (https://www.bioblog.com.br/etanol-na-reducao-das-emissoes-de-gases-estufas/).

Além deles, uma tendência recente é o investimento em energia eólica, produzida a partir da força do vento por meio dos aerogeradores instalados em parques eólicos. Sobre a participação do biodiesel na matriz energética brasileira, o percentual ainda é baixo, cerca de 1,8%. No entanto, o Ministério de Minas e Energia prevê que este número suba para 5,8% até 2030. Inclusive, está regulamentando em lei que o biodiesel precisa ser misturado ao diesel em uma proporção de 5% do total.

Em relação ao etanol, o Brasil investe fortemente em um programa competitivo de desenvolvimento e produção deste combustível. Entre suas vantagens está o baixo preço, a reduzida emissão de gases poluentes na atmosfera e o alto potencial de exportação. Atualmente o etanol representa 15% dos combustíveis usados em motores à combustão.

Segundo o Ministério de Minas e Energia até 2030 este percentual deve chegar a 19,8%. A maior parte do etanol produzido no Brasil é obtido a partir da cana-de-açúcar, a qual também é usada como matéria-prima para a produção de açúcar. Existem safras em que as usinas produzem mais açúcar do que etanol, isso porque o setor costuma direcionar mais cana para produzir açúcar ou etanol de acordo com o produto que está recebendo melhor remuneração no período.

Levando em consideração as previsões promissoras em relação ao aumento das fontes renováveis na matriz energética brasileira, para atender a demanda será necessário maximizar a produção seguindo critérios sustentáveis.

A Novozymes, líder mundial em biosoluções, pesquisa e desenvolve enzimas de qualidade para auxiliar na produção de biocombustíveis.

No site Bioblog (www.bioblog.com.br) é possível conferir toda a gama de alternativas da Novozymes.

Quer fazer um comentário?