Sustentabilidade

Biotecnologia e suas principais áreas de estudo – Alimentos e Bebidas

cerveja-fermentação-Alimentos

Ao estudar Biotecnologia, você sempre acaba entrando em contato com os fermentados, como, principalmente, a produção de cerveja.

Isso porque, além de ser o principal interesse de muitos biotecnólogos iniciantes, é um processo muito conhecido, devido a seu tempo de existência.

Já existem registros da produção de cerveja na Antiguidade, conhecida pelos mesopotâmios, egípcios e sumérios. Os mesmos povos também tinham registros da produção do vinho, considerada bebida sagrada por alguns. Não se sabe ao certo como se originaram essas bebidas, mas se acredita que suas matérias primas (malte e uva, no caso da cerveja e do vinho) foram deixadas ao relento, enquanto úmidas, e quando recuperadas depois de algum tempo, haviam gerado um líquido adocicado e agradável ao paladar. Os povos antigos chegavam a acreditar que a transformação era dádiva divina, mas não passava de uma fermentação espontânea feita por leveduras e bactérias, e isso, já era biotecnologia.

Mas vinho e cerveja, apesar de serem uns dos mais antigos, não são os únicos produtos feitos a partir desse processo biotecnológico “clássico”. Queijos, iogurtes, bolos, pão, tipos de chás, são todos exemplos de alimentos comuns que só existem por causa da biotecnologia. Assim que a forma de produzir todos ficou clara, os processos foram sendo melhorados e otimizados ao longo dos anos, para o tradicional que temos hoje. Ainda assim, por meio de estudos e pesquisas, se busca cada vez mais melhorar esses processos, tornando-os mais baratos, mais simples e gerando produtos com cada vez mais qualidade.

A Biotecnologia na área alimentícia não se aplica somente à produção de alimentos. Melhorar a qualidade de vida de pessoas com alguma restrição alimentícia também. Com a Biotecnologia, hoje já é possível ter alimentos sem lactose, sem glúten, que melhoram a digestão, com menos gorduras e sódio, tudo para que o consumidor possa ter acesso a qualquer alimento, sem afetar sua saúde.

Outra grande aplicação para a biotecnologia é na Agricultura. Apesar de parecer uma prática simples, e já muito bem explorada, a agricultura foi um dos ramos que mais cresceu nos últimos anos, não só pela demanda dos alimentos como também no desenvolvimento tecnológico dos processos de plantio, cultivo e colheita. Todo o conhecimento necessário em Biotecnologia, todas as partes em cálculos, química, biologia e até física, são essenciais para formulação de novos fertilizantes biológicos (feitos fazendo uso do crescimento de microrganismos, que melhoram o desenvolvimento das plantas), e também para a otimização do processo como um todo, obtendo assim produtos mais duradouros e de maior qualidade.

E isso foi só como raspar a ponta do Iceberg para essa área da Biotecnologia. Por ser um ramo em expansão, todo mês surgem novos estudos surpreendentes de como microrganismos e ferramentas biológicas podem ser utilizadas para melhorar a maneira que nos alimentamos todo dia.

Esse texto faz parte de uma série que começou na semana passada. Acesse aqui  o primeiro post para acompanhar na íntegra. Na próxima semana, vamos falar sobre a minha área favorita: Meio Ambiente e Sustentabilidade.

Até lá, e não esqueça de comentar o que achou dessa área e de curtir!!

Tags:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *