28-09-2017

Associação em prol do etanol de milho é criada no Mato Grosso

A União Nacional do Etanol de Milho (Unem) foi criada para fomentar o desenvolvimento industrial do etanol de milho no país

 

A Novozymes está participando da nova associação focada no etanol de milho, a União Nacional do Etanol de Milho (Unem), criada no dia 18 de setembro de 2017, em Cuiabá, no Mato Grosso.

A nova entidade reúne empresas e entidades representativas do setor agrícola, com o objetivo de fomentar o desenvolvimento industrial do etanol de milho no país. A Unem é conduzida pelo conselheiro consultivo e ex-presidente da Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja), Ricardo Tomczyk, e pelo também conselheiro consultivo e vice-presidente da Associação Brasileira de Produtores de Milho (Abramilho), Glauber Silveira.

“Nosso objetivo é focar no desenvolvimento da cadeia do etanol de milho. Sabemos que temos potencial. Agora, com a associação, poderemos desenvolvê-lo de maneira mais articulada”, destaca Tomczyk.

O Presidente regional da Novozymes Latin America, Emerson Vasconcelos considera um avanço para o agronegócio a criação da Unem. “A associação veio em um momento essencial e adequado. Ela servirá para suportar e estruturar a cadeia do milho. Sabemos que só uma empresa ou uma parte desta cadeia não conseguiria, sozinha, fazer com que o etanol de milho se desenvolvesse”, destaca.

Compõem a associação, a Aprosoja, a Associação dos Produtores de Sementes (Aprosmat), a Abramilho, a Associação de Reflorestadores de Mato Grosso (Arefloresta), a Associação dos Criadores de Mato Grosso (Acrimat) e a Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso (Famato), bem como representantes da indústria de etanol, como a FS Bioenergia e a SJC, de Goiás; fornecedores de máquinas e equipamentos, como SL Process, Fermentec, Amazônia Máquinas e Lallemand BDS; e empresas de produtos químicos, insumos e sementes, como Dow/Du Pont, Pioneer, Novozymes e Leaf, além de representantes da Cooperativa Agropecuária e Industrial Celeiro do Norte (Coacen), das indústrias Alcoolina e Alcooad, da comercializadora CHS e da Fundação Rio Verde.

Quer fazer um comentário?