Cuidados Domésticos

As celulases no combate à redeposição de sujeira

Detergentes que contém enzimas chamadas celulases podem evitar que a sujeira de outras roupas seja redepositada na roupa limpa

Você já parou para pensar que a sujeira que ficou na água da lavagem anterior, ou até mesmo no interior da máquina de lavar, pode acabar sendo redepositada, ou seja, aderindo às outras roupas que serão lavadas?

Pois é, isso realmente acontece e acaba fazendo com que peças, antes brancas, pareçam mais acinzentadas e que peças, antes coloridas, fiquem com cores opacas, ou seja, com menos vida. As partículas de sujeira das roupas estão intimamente relacionadas à vida em grandes centros urbanos, onde a exposição à poluição e outras fontes de sujeira é maior. A Organização das Nações Unidas (ONU) estima que, até 2050, aproximadamente 68% da população mundial viverá em áreas urbanas, o que significa mais pessoas preocupadas com a sujeira que gruda profundamente nas suas roupas, com os problemas que ela pode trazer à sua máquina de lavar e às outras peças de roupas que também precisam ser lavadas.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), 91% da população mundial vive em locais onde a qualidade do ar excede os limites recomendados. Sendo assim, não é surpreendente que muitos consumidores urbanos já tenham desenvolvido estratégias de separação de roupas para tentar vencer a sujeira urbana (você mesmo deve fazer isso em casa, separar os jeans, os coloridos dos brancos, etc.). Em algumas regiões, é comum que os consumidores lavem roupas de sair ou trabalhar e as de ficar em casa separadamente para evitar a redeposição de sujeira. Mas, considerando que grande parte das pessoas que vivem em grandes cidades têm uma rotina corrida, essas estratégias não são viáveis considerando a variável tempo dedicado à atividade de lavar roupas.

O que causa a redeposição e como as celulases atuam?

As fibras de algodão são compostas por camadas interligadas de pequenos fios conhecidos como fibrilas. Conforme as fibras envelhecem, algumas fibrilas se soltam e se projetam das fibras (são as famosas bolinhas das roupas). As mais curtas prendem as partículas de sujeira no ar, que são então liberadas durante o ciclo de lavagem para se redepositar nas roupas. Conforme essas partículas de sujeira se acumulam com o tempo, elas fazem os tecidos de algodão branco parecerem cinza e as cores parecem opacas, como mencionado anteriormente.

As moléculas de celulose nas fibras de algodão são formadas por longas cadeias de glicose (um tipo de carboidrato). Acredita-se que as celulases (que são enzimas), durante a limpeza, cortem especificamente as fibrilas mais curtas e finas em pequenas moléculas de glicose, ou seja, antes existia uma grande molécula de celulose composta de várias pequenas moléculas de glicose e com a ação da celulose essa grande molécula é quebrada em vários pedacinhos de glicose. Dessa forma, essas fibrilas são quebradas e levantadas do tecido, liberando partículas de sujeira presas para deixar os brancos mais brancos e as cores mais brilhantes.

Legal, né? Até nas bolinhas das roupas as enzimas podem dar um jeito! Ficou com alguma dúvida? Deixe seu comentário aqui em baixo!

Tags:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *