Sustentabilidade

Abelhas e meio ambiente: como elas se organizam em sociedade?

A organização social das abelhas é complexa e, apesar de existir uma rainha, elas trabalham muito bem em equipe

Esse é o primeiro post da série “Abelhas e meio ambiente” e nele vamos explicar como é organizada a sociedade das abelhas.

As abelhas fazem parte da ordem Hymenoptera que compreende um dos maiores grupos de insetos do mundo, nele encontramos também as vespas, as formigas e as moscas-da-serra (aposto que você não sabia que as formigas e as abelhas são parentes, né?). Existem mais de 20 mil espécies de abelhas, dentre elas estão as com e sem ferrão, as que produzem e as que não produzem mel e muitas outras características. Elas são responsáveis pela polinização de dois terços das plantações e 85% das flores do planeta Terra.

Você já deve ter ouvido falar em abelha rainha, né? Pois bem, as abelhas que vivem em sociedade (sim, a maioria delas é solitária ☹), são divididas em três funções diferentes: a abelha rainha, as operárias e os zangões:

  • Abelha rainha: é facilmente identificada pois é de maior porte e tem o abdômen mais comprido. Sua principal função dentro da colmeia é a reprodução mas ela também é responsável por liberar hormônios chamados de feromônios e que inibem a produção de outras rainhas.
  • Operária: as operárias são fêmeas inférteis responsáveis pela produção do mel, da cera que forma os favos e da geleia real. Elas também têm a função de alimentar a rainha e as larvas. São a classe de abelhas mais encontrada dentro da colmeia.
  • Zangões: os zangões são machos, não possuem ferrão e sua única função é fecundar a rainha durante o voo nupcial (inclusive eles morrem durante a reprodução, coitados…).
abelhas
Nesta imagem é possível observar a diferença de tamanho entre a rainha e as demais abelhas. Fonte: Pixabay

 A abelha rainha, depois do voo nupcial, descansa por alguns dias até começar a botar os novos ovos e então ela escolhe quais serão zangões e quais serão operárias. Os zangões nascem de uma célula cujo óvulo da rainha não foi fecundado pelo zangão durante o voo nupcial, enquanto as operárias nascem dos óvulos fecundados. Se, por algum motivo, for necessária a produção de uma nova rainha, as abelhas operárias escolherão entre 3 e 5 ovos e os alimentarão com a geleia real (só as rainhas ou candidatas a rainha são alimentadas com a geleia real).

Então, as abelhas que, inicialmente seriam operárias, agora passarão a se desenvolver mais, a fim de se tornarem abelhas maiores e mais fortes. Por fim, há um combate pela coroa, ou seja, as abelhas lutam de modo que apenas a mais forte sobrevive e se torna a rainha. Legal, né? No próximo post, falaremos sobre as questões ambientais por trás das abelhas, principalmente a respeito da polinização e por que ela é tão importante para a manutenção da vida na Terra.

Gostou? Então não esquece de dar um like e deixar seu comentário aqui em baixo!

Tags:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *